Blog da REBOB

Mudança climática pode diminuir energia na América Latina

A geração de energia hidrelétrica cairá 25% na América Latina para 2040 como consequência das mudanças climáticas, apesar da demanda energética duplicar, advertiu, no Panamá, um especialista da ONU.


A falta de água pode levar à queda da produção de energia pelas hidrelétricas. Cerca de 30 milhões de pessoas já sofrem com a falta de fornecimento de energia elétrica na América Latina e Caribe.

“Com os cenários de mudança climática haverá menos chuva e, portanto, menos correnteza nos rios, menos água nos pântanos e menos geração hidrelétrica”, diz Gustavo Mañez, coordenador de Mudança Climática para a América Latina e o Caribe da ONU Meio Ambiente.


“Estamos falando de uma perda de 25% de toda a geração hidrelétrica daqui até 2040”, acrescentou Mañez. Para ele , o cenário é “catastrófico” já que 60% da energia na América Latina provém de hidrelétricas e para 2030 espera-se que a demanda de energia elétrica regional duplique. Por isso, disse, se o modelo de produção de energia não for alterado “iremos ver mais apagões e falhas de fornecimento”.


Cerca de 30 milhões de pessoas sofrem com a falta de fornecimento de energia elétrica na América Latina e no Caribe, principalmente por falta de infraestrutura, segundo a Organização Latino-Americana de Energia (Olade).


O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) observou que 75% das pessoas sem energia estão concentradas em Haiti, Peru, Argentina, Brasil, Colômbia e Guatemala.


Mañez manifestou que a região precisa de maior eficiência energética para reduzir o consumo e apostar em fontes energéticas renováveis não convencionais, como solar, eólica e geotérmica.


O acesso a energias renováveis é cada vez mais barato na região, o que tem permitido maiores investimentos do setor privado nestes campos.


Fonte: Isto É Dinheiro

0 visualização

Design & Marketing

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos