Blog da REBOB

Especialistas debatem empreendimentos hidrelétricos na Região Hidrográfica do Paraguai

Diretora Gisela Forattini (em pé) abre a oficina

Foto: Natália Sampaio / Banco de Imagens ANA



Em 10 e 11 de dezembro, a Agência Nacional de Águas (ANA) sediou em Brasília a oficina Definição de Estudos para Subsidiar o Plano de Gestão da Bacia do Alto Paraguai. O evento foi coordenado pela ANA, em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Unidade Pantanal (Embrapa Pantanal). Na oficina, 26 pesquisadores de diversas instituições do País apontarão os estudos necessários para a avaliação dos impactos potenciais dos empreendimentos energéticos propostos para a Região Hidrográfica do Paraguai.


Os participantes da oficina são especialistas em hidrologia, qualidade da água, ictiofauna (conjunto de peixes que vivem em determinada região) e pesca, socioeconomia, produção de energia e suporte à tomada de decisão.


A oficina é o primeiro passo para o estabelecimento de uma parceria entre a ANA e a Embrapa Pantanal, cujo objetivo central é desenvolver subsídios técnicos e científicos para atuação dos colegiados e órgãos gestores de recursos hídricos no que diz respeito à instalação de empreendimentos hidrelétricos na Região Hidrográfica do Paraguai.


O evento também está no contexto do Plano de Recursos Hídricos da Região Hidrográfica do Paraguai (PRH-Paraguai), cuja elaboração pela Agência Nacional de Águas foi determinada pelo Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH). Como o rio Paraguai é de domínio da União por ser interestadual (MT/MS) e transfronteiriço, cabe à ANA coordenar a elaboração do PRH-Paraguai.


Discussões sobre o PRH-Paraguai


Cuiabá (MT) recebeu, entre 4 e 5 de dezembro, no auditório da Federação das Indústrias de Mato Grosso, a 1ª Reunião do Grupo de Acompanhamento da Elaboração do Plano de Recursos Hídricos da Região Hidrográfica do Paraguai (PRH-Paraguai). O instrumento de planejamento orientará e integrará as políticas e intervenções na região visando a assegurar o uso sustentável das águas para compatibilizá-lo com as demandas da região e a preservação do Pantanal, bioma localizado na bacia do Paraguai.


Planos de recursos hídricos


Os planos de recursos hídricos (ou de bacia) são planos diretores e de longo prazo que visam a fundamentar e orientar a implementação da Política Nacional de Recursos Hídricos. Além disso, este instrumento busca guiar o gerenciamento da água com horizonte de planejamento compatível com o período de implantação dos programas e projetos contidos no plano de bacia.



Região Hidrográfica do Paraguai


Na Região Hidrográfica do Paraguai moram 2,16 milhões de pessoas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sendo 87% em áreas urbanas. A maior das 74 cidades da RH do Paraguai é a capital de Mato Grosso: Cuiabá. Outras cidades mato-grossenses também têm contingente populacional significativo, como: Várzea Grande, Rondonópolis e Corumbá.


Uma peculiaridade da Região Hidrográfica do Paraguai é que ela é a única do País que tem como uso principal da água a dessedentação (matar a sede) de animais. Dos 30 metros cúbicos de recursos hídricos retirados a cada segundo, 41% vão para a atividade. Os demais usos são: irrigação (32%), consumo urbano (17%), indústrias (9%) e uso rural (1%). Saiba mais em http://www2.ana.gov.br/Paginas/portais/bacias/paraguai.aspx.


Mais informações no site: www.ana.gov.br

























0 visualização

A Rede Brasil de Organismos de Bacias Hidrográficas - REBOB é uma entidade sem fins lucrativos constituída na forma jurídicos de Associação Civil, formada por associações e consórcios de municípios, associações de usuários, comitês de bacia e outras organizações afins, estabelecidas em âmbito de bacias hidrográficas.

Design & Marketing Digital

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos
  • Telegram
  • LinkedIn App Icon
  • Wix Facebook page