Blog da REBOB

Novo sistema utiliza placas solares para produzir energia e água potável ao mesmo tempo

por: Ruy Fontes – agência #movidos


Placas solares já são uma realidade em todo o mundo para a geração de energia limpa, mas um novo sistema poderá fazer delas também uma solução para a escassez de água potável.


Criado por cientistas da Universidade de Ciência e Tecnologia Rei Abdullah, na Arábia Saudita, o sistema utiliza placas tradicionais, as mesmas encontradas em kit energia solar residencial, para purificação da água em conjunto com a geração de energia elétrica.


Para isso, a invenção utiliza a parte da energia solar que se perde na conversão elétrica de placas fotovoltaicas na forma de calor.


Apesar dos avanços da tecnologia e dos ganhos em sua eficiência elétrica, boa parte da luz que atinge um painel solar ainda é convertida em calor ao invés de energia, o qual pode prejudicar o seu desempenho.


O sistema híbrido desenvolvido pelos cientistas sauditas utiliza então esse calor para a destilação e purificação da água, seja ela do mar ou de locais contaminados, sem impactar a geração elétrica do painel.


Publicado na revista científica Nature Communications, o artigo explica o sistema como uma combinação de células solares comerciais em conjunto com um dispositivo de destilação por membrana de vários estágios, que separa as moléculas de água das impurezas.


Instalado na parte de trás da célula solar e selado por espumas de poliuretano para prevenir a perda térmica, o dispositivo utiliza o calor residual da geração elétrica para evaporação da água em cada estágio de destilação.

O artigo afirma que o dispositivo pode produzir água limpa de forma estável para atender aos padrões estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a uma taxa superior a 1,64 kg/hora por m².


Ao mesmo tempo, as células continuam a gerar eletricidade com 11% de eficiência, mesma taxa observada sem o uso do dispositivo, afirmaram os cientistas.


Em teoria, o artigo mostra que se toda a capacidade solar de 1 Terawatt (TW) prevista para ser instalada no país até 2025 fosse equipada com esse dispositivo ela poderia produzir cerca de 4 bilhões de m³ de água potável por ano.


Essa produção poderia ser ainda maior caso os sistemas utilizassem células solares especialmente projetadas, uma vez que os painéis são fabricados de forma a dispersar o calor gerado.


Embora já existam sistemas de dessalinização e purificação de água alimentados por placas solares, a invenção dos cientistas sauditas pode trazer mais sustentabilidade para esses projetos por unir esse objetivo com a geração elétrica.


“O benefício indiscutível é a co-geração altamente eficiente de água limpa e eletricidade em um único dispositivo ao mesmo tempo na mesma terra”, afirmaram os cientistas.


in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 12/02/2020

Design & Marketing

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos