Blog da REBOB

Técnicas de captação e reuso de água em residências

Autoras: Daniela Gislane de Oliveira e Isadora Alves Lovo.



Resumo



O presente trabalho apresenta técnicas de captação de água em uma residência, tanto como águas pluviais, como águas cinzas, e seu posterior reuso. Tendo em vista o elevado crescimento populacional, que ocasiona uma escassez cada vez maior de água, faz-se necessária a busca por alternativas que possam suprir a demanda de água pelos seres humanos, visando seu gerenciamento e uso racional para sua conservação. Além do mais, o desperdício de água é apontado com um dos principais responsáveis pela crise hídrica, uma vez que a população fortalece a ideia de uma “fonte inesgotável” e o custo cobrado pelas companhias de saneamento é muito baixo. Tendo em vista todos os fatos apresentados anteriormente, a busca por alternativas para reaproveitamento da água está crescendo a cada dia, como exemplo a captação da água da chuva e reuso de águas cinzas para fins não potáveis. Nesse contexto, o objetivo desse trabalho é apresentar algumas formas de captação e reuso de águas pluviais e águas cinzas em residências e quais são os cuidados necessários para implantação desses sistemas.



Introdução


O crescimento populacional e as alterações climáticas, associados aos padrões de consumo de novos produtos resultantes do desenvolvimento tecnológico, aceleram a redução da disponibilidade de água em algumas regiões devido ao aumento de sua utilização e da pressão sobre as fontes existentes.


Por muito tempo, os esforços mantiveram-se na gestão da oferta, adequando-se redes de abastecimento e, por diversas vezes, buscando água cada vez mais longe, visando apenas o lado econômico, sem se preocupar com o meio ambiente e com maneiras de se, realmente, “economizar” a água.


A água é um símbolo comum da humanidade que deveria ser respeitado e valorizado. É indispensável à vida, ao desenvolvimento econômico e ao bem-estar. Contudo, devido à sua má administração e às atitudes humanas, está cada vez mais difícil encontrá-la em quantidade e qualidade satisfatórias, pois, ainda que o total de água que participa do ciclo hidrológico não se altere, pode-se mudar sua qualidade e distribuição.


O desperdício é apontado como um dos principais responsáveis pela crise hídrica, visto que a maior parte da população não dá o devido valor à água, fortalecendo a ideia de uma “fonte inesgotável”. Um fator que contribui para este descaso é o custo cobrado pelas companhias de saneamento, muito baixo quando comparado com outros produtos do mercado, além da falta de consciência e educação da população sobre os recursos hídricos.


Todos esses problemas associados justificam a necessidade de se estudar técnicas alternativas para reaproveitamento da água, como captação da água da chuva e reuso da água nas residências para fins não potáveis (irrigação de jardins, lavagem de veículos e calçadas, descargas em vasos sanitários, etc).


Sendo assim, o presente trabalho consiste em apresentar formas de captação, utilização e reuso de água em atividades humanas, analisando as alternativas propostas na literatura e construindo um pensamento crítico sobre os benefícios proporcionados, tanto na perspectiva econômica, quanto ambiental.



Clique aqui e leia na íntegra.



Fonte: Portal Tratamento de Água

0 visualização

A Rede Brasil de Organismos de Bacias Hidrográficas - REBOB é uma entidade sem fins lucrativos constituída na forma jurídicos de Associação Civil, formada por associações e consórcios de municípios, associações de usuários, comitês de bacia e outras organizações afins, estabelecidas em âmbito de bacias hidrográficas.

Design & Marketing Digital

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos
  • Telegram
  • LinkedIn App Icon
  • Wix Facebook page