Blog da REBOB

Governo de Minas inicia testes de vazão do Programa Água Doce em municípios mineiros



Técnicos realizam aferição com bombeamento na comunidade de São José do Meio -

Foto: Semad/Divulgação

O PAD é uma iniciativa da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), desenvolvida em parceria com Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (GMG/Cedec), o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), a Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater) e o Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene). O programa visa levar água de qualidade, própria para o consumo, a cerca de 30 mil pessoas no semiárido mineiro até o final de 2021, beneficiando 69 comunidadesrurais na região. Nesta terceira etapa, que teve início no dia 4 de dezembro, serão executados 54 testes nos municípios de Rubelita, Espinosa, Mato Verde, Monte Azul, Porteirinha, Jacinto, Jordânia, São João do Paraíso, Araçuaí, Ninheira, Pai Pedro e Rubim.

Os testes de vazão são realizados para se conhecer a real integridade dos poços selecionados, a quantidade e a qualidade da água oferecida, além de avaliar a compatibilidade com os requisitos exigidos pelo programa para, posteriormente, executar a instalação do sistema de dessalinização.

O programa prevê a realização de 279 diagnósticos socioambientais na etapa 1 e a seleção de 138 comunidades na etapa 2, onde serão realizados os testes de vazão. Já na etapa 3, após concluídas as etapas anteriores, será aplicada, nos poços selecionados, uma substância derivada do cloro para eliminação dos microrganismos que se alojam em poços antigos, que se encontram abertos e fora de uso. Além disso, é feita a injeção de ar para dentro do poço com o intuito de limpar, desobstruir e recuperar a profundidade e a capacidade de vazão, antes da realização dos testes de vazão propriamente ditos. A fase final do projeto prevê monitoramento e manutenção das estações, com visitas técnicas sendo realizadas quatro vezes ao ano.

Segundo o coordenador do Programa Água Doce em Minas, capitão da Polícia Militar, José Ocimar de Andrade Junior, os testes de vazão ocorrem em comunidades já consideradas aptas pelos diagnósticos socioambientais. “Enquanto isso, outras comunidades vão sendo diagnosticadas simultaneamente e, em breve, projetos executivos serão iniciados, o que torna o Programa Água Doce um sistema dinâmico e eficiente” ressaltou.

Oito comunidades pertencentes ao município de Porteirinha terão os poços tubulares submetidos aos testes de vazão. Os trabalhos tiveram início nesta quintafeira (10/12). Ao final dos testes, serão selecionadas 69 localidades onde serão concluídos os projetos executivos. Posteriormente, começam, ainda em 2021, as intervenções para recuperação de poços e de construção de estações de essalinização de água, para torná-la apta ao consumo humano.

PROGRAMA ÁGUA DOCE

O Programa Água Doce é executado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), por meio de parcerias com os estados do Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe) e Minas Gerais. São dez convênios do Programa Água Doce em execução, com investimento de aproximadamente R$ 260 milhões, para fornecer água de qualidade a 1,2 mil comunidades rurais do semiárido brasileiro.

Outro diferencial do PAD é a gestão compartilhada dos sistemas de dessalinização, com participação efetiva das comunidades e representantes dos municípios, estados e governo federal. Em cada comunidade são construídos os “acordos de gestão compartilhada”, instrumentos que definem as reponsabilidades das partes na gestão.

Em evento realizado no dia 2 de dezembro, o governador Romeu Zema, acompanhado da secretária de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Marília Melo, e do diretor-geral do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), Marcelo da Fonseca, assinou Acordo de Cooperação Técnica para a retomada do Programa Água Doce (PAD) em Minas Gerais. O acordo foi assinado também com o Idene, a PMMG, a Defesa Civil e a Emater. O apoio mútuo entre as diversas áreas do governo é uma das marcas da gestão Zema e neste projeto não foi diferente. Todos os parceiros envolvidos na execução do PAD vêm desempenhando um trabalho exemplar, o que vem garantindo o sucesso do projeto como um todo”, salientou a secretária Marília, durante o evento.

Em 2012, o Governo do Estado firmou convênio com o governo federal para implantação do PAD em Minas Gerais, mas as gestões anteriores em Minas não deram andamento. Somente neste ano, é que o programa foi retomado e obteve avanços consideráveis.

O convênio visa à implementação de tecnologias alternativas para atender, prioritariamente, as populações de baixa renda do semiárido brasileiro, tendo em vista que cerca de 70% dos poços da região semiárida do Brasil apresentam águas salobras ou salinas, e a água subterrânea, muitas vezes, é a única fonte disponível para as comunidades.

O acordo assinado nesta gestão viabiliza a execução do PAD em uma atuação conjunta no desenvolvimento do programa, especialmente no que diz respeito à disponibilidade de profissionais técnicos nas respectivas áreas de atuação. Isso garante que todo o seu recurso seja aplicado no objetivo final: levar água de qualidade à população do semiárido de Minas Gerais.

Wilma Gomes Ascom/Sisema


Fonte: Portal MeioAmbiente.mg

14 visualizações

A Rede Brasil de Organismos de Bacias Hidrográficas - REBOB é uma entidade sem fins lucrativos constituída na forma jurídicos de Associação Civil, formada por associações e consórcios de municípios, associações de usuários, comitês de bacia e outras organizações afins, estabelecidas em âmbito de bacias hidrográficas.

Design & Marketing Digital

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos
  • Telegram
  • LinkedIn App Icon
  • Wix Facebook page