top of page
Sumário da água

Blog da REBOB

Parceria com cooperativas vai permitir ao IAT ampliar rede de monitoramento da água


Uma parceria entre o Instituto Água e Terra (IAT) e as cooperativas C.Vale e Copacol vai permitir ao Estado ampliar a rede de monitoramento da qualidade da água no Paraná, composta atualmente por 207 estações distribuídas entre as 16 bacias hidrográficas paranaenses.


As empresas vão instalar cinco novas estações hidrológicas telemétricas – com transmissão de dados em tempo real – ao longo da Bacia do Rio Piquiri, na região Oeste, como contrapartida a licenciamentos ambientais. O investimento é de R$ 500 mil por ano. O acordo tem validade de cinco anos, com possibilidade de prorrogação.


As estações serão instaladas no primeiro semestre de 2024, três em Palotina (rios São Camilo, Azul e Pioneiro) e duas em Cafelândia (rios Iguaçuzinho e Central). São esses dados que permitirão, por exemplo, saber se haverá água suficiente para a instalação de uma nova indústria ou a ampliação da piscicultura na região.


“É a melhoria da qualidade e quantidade da informação. Um benefício para os usuários e para toda a população paranaense, que terá a garantia da água de qualidade no futuro”, destaca o diretor-presidente em exercício do IAT, José Luiz Scroccaro.


“Convivemos com a demanda alta por água e hoje conseguimos atender a todos os usuários com as informações que constam em nosso banco de dados. Essas novas estações nos permitirão ter dados precisos de pequenas bacias, de mais rios, aumentando a possibilidade de novas outorgas e licenciamentos”, acrescenta a chefe da Divisão de Demanda e Disponibilidade Hídrica do IAT, Gláucia Tavares Paes de Assis.


SISTEMA – Essa é apenas a primeira ampliação do sistema de monitoramento da qualidade da água prevista para o IAT para 2024. Além das cinco estações que serão instaladas pelas cooperativas, alcançando 212 postos, está em andamento o projeto de implementação de mais 30 pontos hidrológicos a partir do segundo semestre do ano que vem.


Rede composta por estações que podem transmitir os dados de forma manual ou por telemétricas, compartilhando em tempo real, via satélite, as condições de cada local. Esses instrumentos são responsáveis por avaliar a vazão, a quantidade das chuvas e o nível da água de rios do Estado, permitindo ao órgão ambiental um planejamento antecipado.


“Conseguiremos ampliar o banco de dados, adensando a rede estadual de monitoramento. Assim, cumprimos de maneira mais ágil a missão de outorgar, licenciar e gerir o recurso hídrico do Paraná”, afirma a chefe da Divisão de Monitoramento do IAT, Christine da Fonseca Xavier.


A cada três meses são coletadas amostras de água e encaminhadas para análise nos três laboratórios do IAT (Curitiba, Londrina e Toledo), todos acreditados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), seguindo a norma de qualidade laboratorial ISO 17.025. Nesses espaços são feitos diversos testes que avaliam, entre outros quesitos, as características físicas, químicas e biológicas da água.

“As cooperativas se colocaram à disposição do órgão ambiental para ajudar a monitorar os rios em busca de uma melhor gestão”, diz o engenheiro ambiental da C.Vale, Guilherme Daniel.


Fonte: IAT

23 visualizações

Comments


bottom of page