top of page
Sumário da água

Blog da REBOB

Rio Urbano como ambiente educador: da obrigação legal à formação de multiplicadores em saneamento



Andrea Cristina Fontes Silva

Roselis Augusta de Oliveira Presznhuk


A escola é um importante espaço de formação do cidadão, os professores são um elo fundamental entre o aluno e o aprendizado do que é cidadania e da necessidade de preservar o meio ambiente. O professor instiga a mudança de comportamento de toda uma comunidade. Nesse sentido, levar o professor a refletir e fornecer materiais específicos sobre os rios urbanos e saneamento, contribui em sua atuação para que a comunidade possa voltar o olhar para o rio e assim torná-lo presente no cotidiano das pessoas.


De acordo com a Política Nacional de Recursos Hídricos, Lei nº 9433/1997, compete ao poder público, aos usuários e às comunidades a gestão dos recursos hídricos. Tuan (1980) ressalta que é importante que haja projetos que venham trazer o pertencimento das pessoas, quanto à presença de rios na paisagem urbana, inclusive para a revitalização de muitos destes espaços a fim de melhorar as condições ecológicas e de qualidade de vida da população.


Com essa premissa, a Companhia de Saneamento do Paraná (SANEPAR) elaborou o curso “Rios e suas cidades: um novo olhar”, como resultado de conciliação judicial junto à Justiça Federal, por meio do qual comprometeu-se a implantar um projeto de educação ambiental, o qual foi desenvolvido como um curso com 6 horas de duração abordando gestão de bacias hidrográficas, os 4 eixos do saneamento e sugestões de atividades, além de elaboração e distribuição de cartilhas para escolas e bibliotecas das 346 cidades de atuação, tendo como público-alvo professores e coordenadores pedagógicos do ensino fundamental I. O curso teve o objetivo de capacitar professores do ensino fundamental para o desenvolvimento de ações de educação que discutam as problemáticas socioambientais ligadas aos rios urbanos nas bacias hidrográficas em que estão inseridos, articulando as questões socioambientais aos conteúdos curriculares.


O projeto atende as Políticas Federal e Estadual de Educação Ambiental, contidas nas Leis 9795/1999 e 17505/2013 respectivamente, bem como a Base Nacional Comum Curricular, (LDB, Lei nº 9.394/1996), buscando no desenvolvimento de suas ações uma compreensão integrada do meio ambiente em suas múltiplas e complexas relações, estimulando e fortalecendo a consciência crítica sobre a problemática socioambiental e incentivando a participação individual e coletiva na preservação do equilíbrio do meio ambiente.


Segue também a Política Nacional de Recursos Hídricos, Lei 9433/1997, ao abordar a água como um bem público, com capacidade limitada de renovação, utilizando a bacia hidrográfica como foco de atuação e coopera com o objetivo do desenvolvimento sustentável – ODS 6 ao conscientizar a comunidade escolar para a gestão participativa da água e do saneamento.


O curso “Rios e suas Cidades: um novo olhar” foi elaborado de forma coletiva e participativa pelos gestores de educação socioambiental da companhia, os quais desenvolveram, de acordo com o objetivo e legislação vigente, o conteúdo do curso, sendo este distribuído em 3 módulos de 2 horas cada, conforme descrito abaixo:


  • Módulo 01: Gestão de bacias hidrográficas com ênfase em rios urbanos

  • Módulo 02: Saneamento básico e sustentabilidade

  • Módulo 03: Recursos metodológicos para aplicação do tema rios urbanos em aula

No módulo 01 o objetivo foi apresentar noções básicas sobre bacias hidrográficas, usos múltiplos e legislação que rege a gestão dos recursos hídricos no Brasil e no Paraná. Assim como abordar os processos de urbanização e impactos sobre o ambiente, em especial sobre os rios urbanos.


O módulo 02 abordou noções do saneamento básico, sua importância para saúde pública e conservação dos rios urbanos, abastecimento com água potável, esgoto, drenagem urbana e gerenciamento de resíduos sólidos. Apresentar também noções básicas sobre sustentabilidade, mudanças climáticas e consumo consciente. Neste módulo houve uma visita mediada virtual e síncrona a uma estação de tratamento de esgoto.


Durante o módulo 03 foram apresentadas para os participantes diferentes ferramentas e materiais pedagógicos que podem auxiliar no desenvolvimento de atividades com os alunos relacionadas ao tema do curso.


Todos os participantes receberam materiais complementares e a cartilha “Rios e suas Cidades” com conteúdo para o professor e o aluno desenvolvida para esta finalidade.


Devido às restrições impostas pelo COVID-2019, nos anos de 2020 e 2021 e impossibilidade das capacitações presenciais, as aulas foram a distância, na modalidade virtual e síncrona (em tempo real) pela plataforma google meet. A divulgação também ocorreu de forma virtual para os 346 municípios por meio de ofício para as Secretarias Municipais de Educação, ofício ao Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Estado do Paraná (SINEPE-PR) e ofício ao Sindicato dos Professores do Estado do Paraná (SINPROPAR) e contato telefônico.


Houve a formação de 397 professores e coordenadores pedagógicos de 73 municípios do Paraná, nos anos de 2021 e 2022, com potencial de disseminação do conhecimento para 11.910 alunos das redes municipal e privada de ensino, considerando o ano em que o curso foi realizado.


O curso possibilitou visita síncrona à estação de tratamento de esgoto, esta atividade foi um diferencial e contribuiu para a compreensão dos processos, bem como seus benefícios para a saúde pública e manutenção da qualidade dos recursos hídricos.


Como material complementar ao curso foram desenvolvidas 03 cartilhas, sendo a elaboração do conteúdo realizado pelos gestores da empresa com a validação da Secretaria de Educação Municipal de Curitiba, Secretaria de Estado de Educação do Paraná, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e o Instituto Água e Terra (IAT). As cartilhas trabalham os conteúdos de forma lúdica para os alunos do fundamental I, fundamental II e ensino médio. Os participantes do curso receberam exemplares impressos, totalizando 14.680 cartilhas. Além da distribuição para os participantes do curso, as cartilhas também foram entregues para as escolas estaduais e bibliotecas dos 346 municípios do estado, totalizando 250 mil unidades.


Ao final do curso foi aplicado um formulário de avaliação. Para a pergunta: “Você ficou satisfeito com o curso?”, mais de 85% dos professores ficaram muito satisfeitos. Sobre a relevância: “O curso foi relevante para seu trabalho?” mais de 83% consideraram muito relevante. Em “Quais foram os pontos mais importantes do curso?” Os participantes relataram que os módulos foram excelentes e promoveram a construção de conhecimentos. Algumas declarações:


  • “A temática do curso foi de grande valia para minha proposta pedagógica.”

  • “Conhecer o mapa das bacias, visita virtual do tratamento do Esgoto, slides ótimos, palestrantes que dominam o assunto, muitas informações novas”

  • “O curso foi ótimo. Foram apresentadas informações teóricas e práticas, as quais são fundamentais para o desenvolvimento de atividades significativas para as crianças”


O curso, no formato síncrono, mostrou-se muito positivo pois abre a possibilidade de interação com os participantes, no entanto, para maior disseminação do conteúdo principalmente para os professores da rede estadual de educação, os quais não tiveram acesso ao curso, está sendo desenvolvido o curso no formato assíncrono.


A interação com os professores participantes evidenciou grande carência de material específico sobre saneamento para o ensino fundamental I, assim a equipe de gestores de educação socioambiental da Companhia iniciou a construção de outros materiais didáticos que possam auxiliar os professores no processo educativo sobre saneamento, tais como vídeo de animação e jogo virtual.


A ação desenvolvida demonstrou que a obrigação legal tornou-se uma oportunidade de disseminação dos conceitos relacionados ao saneamento e aos rios urbanos para um público com grande potencial de multiplicação da informação, o que contribui para a mudança de atitude, individual e coletiva, acerca dos cuidados necessários para preservação dos recursos hídricos.


Referências


Base Nacional Comum Curricular. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br> Acesso em: : 20 de outubro de 2022.

BRASIL. Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB. Lei 9.394. Brasília, DF, 20 de dezembro de 1996. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12907:legislacoes&catid=70:legislacoes> Acesso em: 20 de outubro de 2022.

BRASIL. Política Nacional de Educação Ambiental, Lei 9795. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 27 de abril 1999. Disponível em: <www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9795.htm> Acesso em: 20 de outubro de 2022.

BRASIL. Política Nacional de Recursos Hídricos. Lei 9.433. Brasília, DF, 08 de janeiro de 1997. Disponível em: <www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9433.htm> Acesso em: 20 de outubro de 2022.

PARANÁ. Política Estadual de Educação Ambiental, Lei 17.505. Curitiba, PR, 11 de janeiro 2013. Disponível em:<https://leisestaduais.com.br/pr/lei-ordinaria-n-17505-2013-parana-institui-a-politica-estadual-de-educacao-ambiental-e-o-sistema-de-educacao-ambiental-e-adota-outras-providencias> Acesso em: 20 de outubro de 2022.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: DIFEL, 1980.


Andrea Cristina Fontes Silva - Doutoranda em Geografia pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), Especialista em Saneamento Ambiental pela Universidade Estadual do Norte Pioneiro (UENP), Especialista em Análise e Educação Ambiental em Ciências da Terra pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Trabalha como Gestora de Educação Socioambiental na Companhia de Saneamento do Paraná - Sanepar. Contatos: andreacfs@sanepar.com.br, instagram: @andreafontes79


Roselis Augusta de Oliveira Presznhuk - Mestre em Tecnologia e Meio Ambiente, Pós-Graduada em Psicologia Transpessoal, Graduada em Química Ambiental. Trabalha como Gestora de Educação Socioambiental na Companhia de Saneamento do Paraná - Sanepar. Contato: roselisp@sanepar.com.br



39 visualizações
bottom of page