top of page
Sumário da água

Blog da REBOB

Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade e Inea promovem aulão sobre segurança hídrica


Alunos do programa Ambiente Jovem aprenderam temas relacionados a barragens e monitoramento de rios


Nesta quinta-feira (14/12), a Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade (Seas) e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) promoveram uma manhã de aprendizados para os alunos do Ambiente Jovem, na sede dos órgão ambientais, no Centro da capital fluminense. Os estudantes tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a pauta de segurança hídrica, desde o funcionamento de barragens até o monitoramento de rios.


“Investir na educação da juventude é investir na construção de um futuro melhor, por isso acreditamos tanto no poder do Ambiente Jovem. Trazer os alunos para a sede da Seas e do Inea para trocar experiências com nossos técnicos é um passo importante na construção de um Rio de Janeiro mais sustentável e integrado.”, afirmou o vice-governador e secretário de Estado do Ambiente e Sustentabilidade, Thiago Pampolha.


No Estado do Rio de Janeiro, cabe ao Inea fiscalizar a segurança das barragens e a gestão de inundações, desde 2011 o órgão vem atuando no cadastro, fiscalização, regulamentações de políticas públicas e capacitação de empreendedores, além da contratação e fiscalização de projetos para prevenção e mitigação de inundações.


“Nosso trabalho aqui também é promover a educação ambiental, pois o tema ainda é pouco discutido pela sociedade civil, mesmo em regiões onde há a presença de barramentos. Nosso objetivo é plantar na cabeça dos jovens essa consciência sobre o que realmente é barragem e as suas implicações”, disse o diretor de Segurança Hídrica e Qualidade Ambiental, Cauê Bielschowsky.


Com a implementação de uma barragem, os engenheiros e projetistas são responsáveis pelo estudo da área, e devem levar em consideração as manchas de inundação em casos de rompimentos, que servem para apontar o local que a água deve percorrer em caso de desastres. Essa delimitação das manchas é crucial para o desenvolvimento de estratégias de segurança e emergência.


“No caso de um eventual rompimento de uma barragem, nós temos dois tipos de zona, a de auto salvamento, que contempla a população que reside mais próximo da barragem e não possui tempo de receber ajuda do estado e Defesa Civil na hora da emergência; e a de segurança secundária, que engloba moradores mais distantes, mas que também estão dentro da mancha de inundação e poderão ser impactados pela onda de cheia. Neste caso, essas pessoas têm mais tempo para receber auxílio de órgãos públicos e até mesmo de se alojarem em locais seguros”, explicou a gerente de Segurança Hídrica, Fernanda Spitz.


Além de técnicos especializados em segurança de barragens, o engenheiro eletrônico da Gerência de Hidrometeorologia, Cesar Garcia, explicou o funcionamento dos equipamentos hidrometeorológicos do instituto. Entre eles, a estação hidrometeorológica, que monitora o volume das chuvas, nível e vazão de rios.


Estavam presentes na palestra a superintendente de Sustentabilidade, Irlaine Alvarenga; a gerente de Segurança Hídrica, Fernanda Spitz; a chefe do Serviço de Risco de Inundações e Segurança de Barragens, Daniele Batista; o engenheiro eletrônico da Gerência de Hidrometeorologia, Cesar Garcia; a engenheira ambiental e sanitária, Sylvana Rodrigues; representantes da Defesa Civil Estadual; além dos alunos dos Núcleos de Pertencimento (NUP) de Campinho, Nilópolis e Petrópolis.


Sobre o Ambiente Jovem


Promovido pela Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade do Rio de Janeiro, o Ambiente Jovem é o maior programa de educação ambiental do país e tem como objetivo formar agentes de transformação em áreas de vulnerabilidade social em todo o território fluminense.


Durante a capacitação, os jovens participam de aulas teóricas e práticas sobre a temática do meio ambiente e sustentabilidade e recebem uma bolsa de estudos de 300 reais, vinculada ao mínimo de 75% de presença nas atividades. Ao final, os estudantes apresentam um plano de intervenção sustentável para implementar na sua comunidade.


No último ano, o programa contou com 141 Núcleos de Pertencimentos espalhados por 41 cidades do território fluminense, e cinco mil estudantes beneficiados. Neste novo ciclo, o Ambiente Jovem foi reestruturado e ampliado para alcançar ainda mais jovens.


Podem se inscrever no programa os jovens de 16 a 24 anos que morem nas localidades dos NUPs. As inscrições são feitas online no site www.ambientejovem.com.br


Fonte: INEA-RJ

22 visualizações

Comentários


bottom of page