Aprovado o Projeto Águas da Serra – Monitoramento da Qualidade e Quantidade da Água na Bacia Hidrográfica do Rio Canoas com Recurso na Ordem de R$ 350mil

23/02/2014

Escrito por Tatiana Arruda Correia

 

Foi aprovado pelo Programa SC Rural o projeto do Departamento de Engenharia Ambiental da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) em Lages. O projeto levantará informações sobre a qualidade das águas da bacia do rio Canoas, com o objetivo de prover dados como subsídio para a elaboração do Plano da Bacia deste importante rio catarinense. O projeto foi discutido inicialmente durante a reunião da Comissão de Acompanhamento do Plano de Bacia do Rio Canoas no dia 07 de novembro de 2013. No dia 27 de novembro, durante a Assembleia Geral do Comitê Canoas, os professores do Departamento de Engenharia Ambiental apresentaram o projeto, sendo aprovado por unanimidade. Em dezembro de 2013 foi aprovado pelo Conselho de Desenvolvimento Regional da SDR de Curitibanos e na última segunda-feira (10/02/14), membros do Conselho Estadual de Recursos Hídricos reuniram-se com a Câmara Técnica do Programa SC Rural para avaliar o projeto, oportunidade em que também obteve a aprovação.

 

O projeto tem como objetivo gerar informação sobre a qualidade da água na bacia hidrográfica do rio Canoas, com base em indicadores físico-químicos e biológicos, espacializados ao longo da área de abrangência da bacia e temporalizados ao longo de 18 meses, sendo correlacionados com as informações hidrológicas da bacia. Os dados gerados no projeto Águas da Serra, que recebe este nome pela área de drenagem da bacia encontrar-se majoritariamente na região serrana, serão disponibilizados e servirão de base para elaboração do plano de gerenciamento da bacia do Rio Canoas.

 

A bacia do Rio Canoas ainda não possui um plano de gerenciamento dos seus recursos hídricos. Atualmente, está sendo elaborado o termo de referência para contratação de uma empresa que deverá construir este plano juntamente com a sociedade. A empresa será selecionada por meio de concorrência pública, tendo como critérios de elegibilidade a qualidade e o preço relacionados ao serviço prestado. Durante as reuniões visando a elaboração deste documento, foi constatado que não existem estudos de referência sobre a qualidade da água na bacia como um todo e que a qualidade da água poderá representar objeto de discussão ou disputa por este recurso no futuro. O projeto Águas da Serra realizará análises físico-químicas e biológicas que servirão como subsídio para o enquadramento dos corpos hídricos da bacia segundo a resolução n° 357, de 17 de março de 2005 do Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA). Sem estas informações, seria inviável diagnosticar a situação atual dos recursos hídricos da bacia e tampouco delinear a situação que se almeja no futuro e que será objeto do processo de gestão a ser conduzido pelo Comitê Canoas.

 

A bacia do Rio Canoas é a maior bacia em extensão no estado de Santa Catarina, envolve 28 municípios da serra catarinense e possui uma área de drenagem de cerca de 15.000 km². A vazão média do Rio Canoas, próximo à sua foz com o Rio Pelotas é de aproximadamente 260 m³/s. Os recursos hídricos da bacia são utilizados como insumo de processos produtivos industriais, tais como construção civil, extrativa mineral, madeireira e moveleira, de borracha, couro, fumo, peles, produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico, produtos minerais não metálicos, papel, papelão, editoras e gráficas, material elétrico e de comunicação, produtos farmacêuticos, veterinários, perfumaria e higiene, têxteis e de artefatos, calçados, material de transporte e mecânica. Destacam-se ainda usos múltiplos pela agricultura (culturas anuais de verão e inverno, culturas perenes, hortaliças, entre outras) e piscicultura (incluindo produção de trutas). Além disso, a bacia hidrográfica do Rio Canoas conta com usinas hidrelétricas, de pequeno e grande porte, instaladas no rio principal e em seus afluentes. Além dos usos quantitativos, destacam-se também os usos das águas naturais como corpos receptores de cargas poluidoras pontuais e difusas.

 

Diante desta variedade de usos múltiplos da água, o gerenciamento da quantidade e da qualidade da água na bacia é fundamental para garantir a disponibilidade hídrica futura na região e contribuir com o desenvolvimento econômico, com bem-estar social e com a qualidade de vida de seus cidadãos.

 

Para mais informações: www.comitecanoas.com.br

 

 

 

 

 

 

Please reload

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos