Reservatório Paraíbuna, no Paraíba do Sul, começa a usar reserva técnica

25/01/2015

 

A partir de hoje o reservatório Paraibuna, na bacia do Rio Paraíba do Sul, começa a usar o volume de água localizado abaixo do limite operacional para geração de energia elétrica.  A reserva que começa a ser utilizada hoje visa a garantir os usos múltiplos na Bacia, inclusive o abastecimento da Região Metropolitana do Rio do Janeiro.

 

As regras para a utilização desta reserva permanecem as mesmas atualmente em vigência, definidas pela Resolução ANA 2051 de 23 de dezembro de 2014.   Oportunamente, a ANA fará a divulgação de novas regas, caso elas sejam modificadas, em articulação com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), os órgãos gestores de recursos hídricos dos estados que compartilham a Bacia (SP,RJ e MG) e o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (Ceivap).

 

O volume localizado abaixo do limite operacional das Usinas Hidrelétricas é conhecido como volume morto, pois não é utilizado para a geração de energia elétrica.

 

Diferente do uso da reserva técnica do Sistema Cantareira, onde foram necessárias obras para a instalação de bombas capazes de acessar o volume abaixo do limite operacional daqueles reservatórios, no Paraíba do Sul não serão necessárias obras para alcançar a parte desta reserva que é acessível por gravidade.

 

Segundo dados do ONS,  o volume morto total do Paraibuna possui 2.096 hm³, que equivalem a 2,096  bilhões de m³ ou a 2,096 trilhões de litros. O volume total de água desta reserva acessível por gravidade ainda está sendo estudado pelo ONS e o operador do reservatório.

 

 Visite a Sala de Situação da ANA para mais informações sobre as características do reservatórios da Bacia do Rio Paraíba do Sul ou para o acompanhamento diário no nível das Bacias.

 

Para mais informações sobre a Bacia do Paraíba do Sul, clique aqui.

 

Outras informações: www.ana.gov.br

Please reload

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos