Momento histórico: aprovado o Acordo de Paris para as mudanças climáticas!

11/12/2015

 

Após anos de debates, acordo global de clima é alcançado em Paris

 

 

Momento histórico, aprovado o Acordo de Paris para as mudanças climáticas! Seguem as aspas do WWF-Brasil e WWF internacional a respeito desse grande marco. Para entrevistas com porta-vozes brasileiros, seguem os contatos abaixo.

 
CARLOS NOMOTO, secretário-geral do WWF-BRASIL: “O Brasil vem desempenhando um papel fundamental em COPs climáticas e nesta não foi diferente. Ter sido um dos dois únicos países a apresentar meta absoluta para 2025 (o outro foi EUA) e ter trabalhado, nesta reta final, em prol de 1.5° C foram grandes contribuições para o sucesso de Paris".


HENRIQUE LIAN, diretor de políticas públicas do WWF-Brasil:"Grande parte do sucesso desta COP se deve a questões de procedimento. A estratégia das INDCs ajudou a romper a lógica binária de negociações entre países desenvolvidos versus países em desenvolvimento. E a condução de um diplomata experiente como Laurent Fabius permitiu colocar todos à mesa e chegar a um texto final em que todos se sentem, se alguma forma, contemplados".


ANDRÉ NAHUR, coordenador do programa Mudanças Climáticas e Energia do WWF-Brasil: “A conferência de Paris chega a um final que é somente o começo. O começo de um processo que leva os países a se reunirem em 2018 para começar a revisão das metas que devem ser apresentadas em 2020 que vigorarão até 2030. Estas metas têm que garantir que não aumentemos a temperatura mundial acima de 1,5. A luta por um futuro de segurança climática só começa aqui, precisamos ainda de financiamento climático adicional e acima de tudo fazer o dever de casa.”


TASNEEM ESSOP, chefe da delegação do WWF para as negociações climáticas da ONU: "O Acordo de Paris é um marco importante. Fizemos progressos aqui, mas o trabalho não está terminado. Temos de trabalhar quando voltarmos para casa, para fortalecer as ações nacionais lançadas por este acordo. Precisamos garantir, de forma mais rápida, novos esforços de cooperação dos governos, cidades, empresas e cidadãos para fazer cortes mais profundos nas emissões; mais recursos para transição energética em economias em desenvolvimento e proteção das populações mais pobres e vulneráveis. Os países devem voltar no próximo ano com o objetivo de implementar rapidamente e aplicar os compromissos assumidos aqui."


SAMANTHA SMITH, líder da Iniciativa Global de Clima e Energia do WWF: "Estamos vivendo um momento histórico. Estamos vendo o início de uma transição global para a energia renovável. Ao mesmo tempo, estamos testemunhando impactos já irreversíveis das mudanças climáticas. As negociações e compromissos que cercam enviar um sinal forte a todos - a era dos combustíveis fósseis está chegando ao fim. Com os impactos climáticos piorando em todo o mundo, precisamos aproveitar o impulso atual e começar uma nova era de ação cooperativa de todos os países e todos os níveis da sociedade."


YOLANDA KAKABADSE, presidente do WWF-internacional: "As negociações sobre o clima em Paris fazem mais do que produzir um acordo - neste momento tem unido a comunidade global para a ação colaborativa em grande escala para lidar com o problema do clima. Ao mesmo tempo em que era um novo acordo sobre o clima ser acordado, mais de 1.000 cidades se comprometeram com 100% de energia renovável, um plano ambicioso emergiu da África para desenvolver fontes de energia renováveis ​​até 2020, e a Índia lançou a Aliança Solar Internacional, que inclui ao mesmo tempo mais de 100 países para abordar o acesso à energia e às mudanças climáticas. Estes são exatamente os tipos de ações de cooperação que precisamos para desenvolver rapidamente o complemento ao acordo de Paris."


Para mais informações: www.wwf.org.br

Please reload

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos