Especialistas britânicos apresentam boas práticas sobre recursos hídricos e mudanças climáticas em workshop

04/04/2016

Abertura do workshop

Foto: Raylton Alves / Banco de Imagens ANA

 

 

No dia 30 de março, a Agência Nacional de Águas (ANA) sediou o workshop Eficiência Hídrica no Brasil. Durante o encontro, especialistas britânicos do centro de excelência WRc apresentaram experiências bem sucedidas na Grã-Bretanha nas temáticas de gerenciamento de recursos hídricos, influência das mudanças climáticas sobre os recursos hídricos, eficiência hídrica, entre outras. O diretor da Área de Hidrologia da ANA, Ney Maranhão, abriu o evento com o Segundo Secretário de Infraestrutura da Embaixada Britânica em Brasília, Martin Badham.

 

Este workshop aconteceu no contexto do projeto Eficiência no Uso da Água no Brasil, cooperação técnica entre o País e a Grã-Bretanha que envolve a ANA, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), a Companhia Pernambucana de Saneamento (COMPESA) e a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA). Pelo lado britânico, o centro de excelência WRc é a instituição participante.

 

A Agência busca o intercâmbio técnico em três temas de interesse: gestão de escassez hídrica, monitoramento de secas e mudanças climáticas. A EMBRAPA tem como foco o uso da água na produção de alimentos, enquanto as duas empresas de saneamento atuam informações sobre a temática da gestão de perdas na distribuição de água.

 

Conforme a programação do workshop, a consultora-chefe da equipe de Gestão de Ativos da instituição britânica abordou a resposta a secas na Europa e um estudo de caso sobre recursos hídricos integrados, escassez de água e planejamento para seca na Inglaterra. O consultor sênior da equipe de Gestão de Captação do WRc, Andrew Davey, especialista em qualidade da água, apresentou como é feito o monitoramento de secas na Europa e mostra como são aplicadas projeções de mudanças climáticas no continente europeu. Já o consultor sênior da WRc para medição de vazão e medição do uso da água, Andy Godley, fez avaliações de água perdida pela COMPESA e do balanço hídrico para a COPASA.

 

Pelo lado brasileiro, a ANA apresentou como se dá o monitoramento de secas e planejamento para lidar com este tipo de evento no Brasil. Tanto a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária quanto a Fundação Getúlio Vargas (FGV) abordam a participação do agronegócio no projeto.

 

Texto:Raylton Alves - ASCOM/ANA

 

Para mais informações: www.ana.gov.br

Please reload

Design & Marketing

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos