Projeto Amazonas será estendido até 2020

11/06/2017

A ANA tomou esta decisão devido aos bons resultados da primeira fase do Projeto que reúne representantes da Bacia Amazônica em ações de capacitação e monitoramento. A proposta agora é a criação de uma rede hidrometeorológica.

 

 Instalação de equipamento do Projeto Amazonas no Peru

 

O Projeto Amazonas, ação regional iniciada em 2012 para o fortalecimento da gestão de recursos hídricos na região amazônica, será estendido até 2020. Devido ao sucesso do primeiro módulo, que termina neste mês de junho, a ANA (Agência Nacional da Água) decidiu estendê-lo mais três anos. O principal objetivo desse novo módulo é avançar na criação de uma rede de monitoramento conjunto.

 

Iniciativa da ANA, o Projeto Amazonas foi implementado em parceria com a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e o Departamento de América do Sul Setentrional e Ocidental do Ministério das Relações Exteriores (MRE), no âmbito da cooperação Sul-Sul, e executado do pela Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) com os órgãos gestores de recursos hídricos dos países signatários.  Nesta última semana de maio, representantes de países que compartilham a Bacia Amazônica estiveram em Brasília para uma avaliação do que foi feito e projeção do que ainda há por fazer.

 

A bacia Amazônica abrange uma área de aproximadamente seis milhões de km² e se estende por sete países: Brasil, Colômbia, Bolívia, Equador, Guiana, Peru e Venezuela. Ocupa áreas desde os Andes peruanos, onde se localizam as cabeceiras do Rio Solimões, até a foz do rio Amazonas, no Oceano Atlântico. O monitoramento da Bacia é um dos principais desafios devido a sua extensão e áreas isoladas e de difícil acesso.

 

O Projeto Amazonas foi assinado em 6 de julho de 2012 para desenvolver ações de cooperação técnica com o objetivo de fortalecer as instituições responsáveis pela gestão dos recursos hídricos nos países membros da OTCA.  A parceria permitiu desenvolver a articulação entre as instituições dos países, troca de experiências e informações e capacitação e formação técnica. Durante os cinco anos de vigência do Projeto, a ANA investiu mais de R$ 4,1 milhões em ações que resultaram em 270 especialistas capacitados em diferentes temas relacionados a recursos hídricos, em vários encontros técnicos que alcançaram 280 especialistas e foi proposta a criação de uma rede hidrometeorológica.

 

Para a segunda fase do Projeto estão previstos investimentos de U$ 1,9 milhão  até dezembro 2020. Além de avançar no planejamento e implementação de uma rede hidromereorológica com 73 pontos de monitoramento e de uma rede regional de qualidade de água, pretende-se desenvolver um sistema de informações para a Bacia (banco de dados), promover novas capacitações e aprofundar a troca de informações e de experiências.

 

Os resultados colhidos na primeira fase do Projeto Amazonas serão mostrados durante a realização do 8º Fórum Mundial da Água, que acontece no ano que vem em Brasília. Os gestores da ANA destacam a importância de participação dos países da OTCA no evento bem como participação de representantes de toda a América Latina. Esta será a primeira vez que o Fórum da Água acontece no Hemisfério Sul.

 

Fonte: Agência Nacional de Águas

 

Os resultados colhidos na primeira fase do Projeto Amazonas serão mostrados durante a realização do 8º Fórum Mundial da Água, que acontece no ano que vem em Brasília.

Please reload

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos