182 bilhões de litros d’água foram perdidos nas bacias do Piracicaba, Capivari e Jundiaí em 2015

22/06/2017

Volume desperdiçado por vazamentos, fraudes e problemas de medição seria suficiente para abastecer 2,7 milhões de pessoas.

 

Em 2015, 182 bilhões de litros de água foram perdidos em municípios banhados pelas bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí. Na foto, o rio Piracicaba.

 

Em 2015, 182 bilhões de litros de água foram perdidos em vazamentos, fraudes, roubos ou problemas de medição nos 74 municípios banhados pelas bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí. O número é de um levantamento divulgado pelo Movimento Menos Perdas, Mais Água – iniciativa criada pela Rede Brasil do Pacto Global da ONU. Volume desperdiçado seria suficiente para abastecer 2,7 milhões de pessoas.

 

O relatório lembra que as bacias dos três cursos fluviais atravessam 74 municípios — cinco em Minas Gerais e 69 em São Paulo. Juntas estas cidades têm uma população de 5,6 milhões de moradores. A região das bacias PCJ responde por 7% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. A média das perdas no sistema de distribuição do país, em 2015, foi de 36,7%, de acordo com o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) do Ministério das Cidades.

 

Pesquisadores afirmam que os números só não são piores porque houve investimentos de infraestrutura em segurança hídrica. No entanto, 50% da população brasileira ainda não usufrui de coleta de esgoto e 34 milhões de pessoas não possuem acesso à água tratada, o que gera uma grande pressão sobre recursos hídricos.

 

Meta nacional

 

No final de 2013, a Presidência da República do Brasil promulgou o Plano Nacional de Saneamento de Básico (PLANSAB). A estratégia tem como meta a redução da média nacional de perdas nos sistemas de distribuição para 31% até 2033.

 

Pesquisas apontam que a demanda futura de água nas bacias PCJ tende a ser superior à disponibilidade hídrica até 2035. Na simulação para esse ano, que estima em 25% a redução de perdas em todos os municípios, bem como uma queda da demanda para a irrigação, os números mostram que a demanda total de água estimada para as bacias PCJ superaria em 22% a disponibilidade atual.

 

Apesar dos volumes de água significativos que poderão ser economizados com programas de redução e controle de perdas, o déficit hídrico estimado pelo Plano de Bacias não será superado apenas com iniciativas básicas de contenção de desperdícios.  Estas iniciativas devem estar associadas ao planejamento e à implementação de outras ações que busquem o aumento da oferta de água — como o crescimento dos índices de tratamento de esgotos dos municípios, a utilização da água de reuso e a redução dos consumos per capita. Os levantamentos dos pesquisadores também recomendam a criação de projetos de gestão operacional periódica nos sistemas de abastecimento.

 

Cercar as perdas nos sistemas de distribuição, diminuir a utilização per capta de água e incentivar o uso racional com uma governança eficiente são medidas que ajudam a promover a segurança hídrica do brasil.

 

Please reload

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos