Projeto de valorização de nascentes urbanas do Arrudas avança com ações de Mobilização e Educação Ambiental

01/11/2018

Com um intercâmbio ambiental e uma oficina de horta comunitária, entre o final de setembro e início de outubro, tiveram início as ações de educação ambiental e mobilização social do Projeto de Valorização de Nascentes Urbanas do Ribeirão Arrudas.
 

 

 

De acordo com o coordenador do Subcomitê do Ribeirão Arrudas, Humberto Martins, o projeto já revitalizou dez nascentes desde o seu início e agora, em sua terceira etapa, quando serão promovidas melhorias em quatro olhos d’água, prevê que a sociedade tenha consciência da importância dessa preservação.

 

O 1º Intercâmbio Ambiental ocorreu na manhã do dia 29 de setembro e contou com a participação de moradores da região, membros do Subcomitê, estudantes e professores universitários. A ação levou os participantes a visitarem as três nascentes que foram revitalizadas na segunda etapa do projeto. No encontro foi possível discutir novas estratégias de conservação, tirar dúvidas e compartilhar experiências.

 

Segundo Martins, a nascente de Sabará e do Barreiro são propriedades particulares e foram muito bem executadas, favorecendo as famílias, a comunidade local que se engajou no projeto e, principalmente, preservando as águas do Arrudas.

 

Já a Oficina de Horta Comunitária, na Nascente da rua Represa, do bairro Havaí, participaram vizinhos, moradores da região, membros do projetos Cercadinho Vivo, convidados de grupos de agricultura e hortas comunitárias de Belo Horizonte. O objetivo da oficina é produzir alimentos promovendo o acesso e a disponibilidade de mantimentos para a comunidade.

 

“A nascente do bairro Havaí é uma área pública da Prefeitura e Belo Horizonte em terreno objeto de reintegração de posse. A área de 7.500 m² será uma ELUP (Espaço Livre de Uso Público) que deve promover ações com a comunidade local como já está sendo feito com a Horta Comunitária do projeto”, relata Martins.

 

Desenvolvido pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Velhas) e Subcomitê do Ribeirão Arrudas, com apoio técnico da Agência Peixe Vivo, e executado pela empresa GOS Florestal, o Projeto de Recuperação e Conservação de Nascentes Urbanas na Bacia Hidrográfica do Ribeirão Arrudas é financiado por meio do Recurso da Cobrança pelo Uso dos Recursos Hídricos na bacia do Rio das Velhas.

 
 
 
Confira a programação das próximas atividades do projeto:

 

OFICINAS:
– Mapeamento Participativo | Data: 31 de outubro
– Cinema e Nascentes | Data: 6, 8 e 10 de novembro
– Produção de Conteúdo e Comunicação Comunitária | Data: 14 de novembro

 

CURSO DE FORMAÇÃO:
– Recuperação de Nascentes (2 módulos) | Data: 24 de novembro

 

INTERCÂMBIO AMBIENTAL:
– Ciclo Expedição pelas nascentes | Data: 11 de novembro

 

SEMINÁRIO:
Seminário Final | DATA: 4 de dezembro

 

Mais informações na página do projeto no Facebook ou pelo email: nascentesdoarrudas@gmail.com ou (31) 98661-0637 / 98586-7892.

 

 
Novas Estratégias

 

De acordo com o coordenador, no início do ano de 2019, na Plenária do CBH Rio das Velhas, um seminário com o tema “O que deve ser feito para se recuperar uma nascente urbana?” será apresentado. A ideia é discutir ideias para revitalização de nascentes localizadas na área urbana, já que na primeira fase do projeto foi identificado que 23 nascentes foram aterradas, ou houve construções, entraram em inventários, os proprietários passaram a não se interessar, dentre outros.

 

 
O território

 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Ribeirão Arrudas localiza-se no Alto Rio das Velhas e é composta pelos municípios de Belo Horizonte, Contagem e Sabará. A unidade possui uma área de 228,37 km² e sua população chega a quase 1,2 milhões de habitantes. Os principais cursos d’água desta UTE são o Ribeirão Arrudas, Córrego do Barreiro, Córrego do Jatobá e Córrego Ferrugem.

Fonte: Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas

Please reload

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos