Sub-Bacia do Velhas já tem 74 propriedades beneficiadas em 4 municípios por obras de recuperação ambiental

22/02/2019

 
A bacia do rio Cipó é uma das que oferece a melhor qualidade de água e a maior diversidade de peixes para o rio das Velhas. Para contribuir com a sua preservação e recuperação, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas) está executando o Projeto Hidroambiental UTE Rio Cipó, cujo objetivo é oferecer maior disponibilidade e qualidade dos recursos hídricos através de ações de preservação e recuperação ambiental nas microbacias da região onde está localizado o Médio Alto rio das Velhas. O andamento do projeto foi um dos temas da reunião do Subcomitê Rio Cipó, realizada na segunda-feira (18) em Santana do Riacho (MG).
 

Com investimento de R$ 1.352.898,15 (um milhão, trezentos e cinquenta e dois mil, oitocentos e noventa e oito reais e quinze centavos) no projeto, são contempladas cinco áreas formadas pelas microbacias do Córrego do Engenho, Córrego dos Queijos, Córrego Galho Grande, Córrego João Congo e do Ribeirão Soberbo. Esses cursos d’água estão recebendo a construção de um total de 364 unidades de bacias de contenção tipo 1 e 172 unidades de bacias de contenção tipo, 2, 4.083,5 metros de bigodes, 2.230 metros de lombadas, 11 unidades de paliçadas, 20.471 metros de terraços, 7.728,15 metros de cercas e o plantio de 7.949 unidades (13,98 ha) de mudas, realizadas pela empresa Inovações em Engenharia e Sustentabilidade Ambiental Ltda (Inovesa), responsável pela execução de todo o projeto.

Bacias de contenção (barraginhas) para acumular e infiltrar água de chuva no solo e evitar erosão. Crédito: Inovesa

 

Terraços para diminuir o carreamento de sedimentos, promover infiltração de água de chuva e evitar erosão do solo. Crédito: Inovesa

 

Cercamento para proteger Áreas de Preservação Permanente (APPs) das beiras de cursos d’água e áreas de reflorestamento (à esquerda). Plantio de mudas nativas para recompor a vegetação para proteção dos cursos d’água (à direita). Crédito: Inovesa

 

Paliças para conter os sedimentos carreados pelas águas de chuva e evitar que estes cheguem nos cursos d’água. Crédito: Inovesa

De acordo com as informações apresentadas por Cláudio Santos, engenheiro de produção e encarregado de obras da Inovesa, 49% das obras do projeto, iniciado em agosto de 2018, estão concluídas e a previsão de encerramento é até julho de 2019. Após a finalização, será realizado um seminário para apresentar a população as intervenções físicas realizadas, bem como os resultados e benefícios. Na oportunidade, serão distribuídas cartilhas contendo informações sobre o projeto, a área de abrangência e a importância da preservação e conservação ambiental.

 

Com a conclusão do projeto, as prefeituras de Santana do Riacho (MG), Santana de Pirapama (MG), Jaboticatubas (MG) e Presidente Juscelino (MG), municípios contemplados, ficarão responsáveis pela realização da manutenção das barraginhas, quando necessário.

 

Confira a apresentação realizada pela Inovesa durante a reunião.
 
Sub-bacia do rio Cipó é fonte de água boa do rio das Velhas
 

A sub-bacia do rio Cipó é uma das principais fontes de água de qualidade da bacia do rio das Velhas, tanto que está enquadrada, segundo usos preponderantes estabelecidos pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (Nº 357/2005), como Classe Especial. Suas nascentes estão protegidas pelo Parque Nacional da Serra do Cipó, porém, ao cruzar a fronteira do parque, a média de suas águas se enquadram na Classe 1, devida a sua intensa antropização e usos intensivos e irregulares do solo. Por isso é sempre importante realizar ações de intervenção para recuperação e preservação da sub-bacia.

Outros assuntos abordados na reunião
 

O primeiro encontro do ano do Subcomitê rio Cipó também trouxe temas como o Chamamento Público para o fornecimento de Mudas produzidas pelo viveiro Viveiro Langsdorff, através da parceria entre o CBH Rio das Velhas, a ArcelorMittal e a Agência Peixe Vivo; a moção que trata do rompimento da barragem do Córrego do Feijão, da Vale, em Brumadinho (MG), em que o CBH Rio das Velhas manifesta solidariedade a população atingida, pede responsabilização dos culpados e a reavaliação dos barramentos de rejeitos de alto risco ao Rio das Velhas; e o Álbum de Figurinhas Rede Asas do Carste – Colecionando Aves, do “Projeto Rede Asas do Carste”.

 
UTE Rio Cipó

 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Rio Cipó localiza-se no Médio Baixo Rio das Velhas e é composta pelos municípios de Baldim, Congonhas do Norte, Jaboticatubas, Presidente Juscelino, Santana de Pirapama e Santana do Riacho, em uma área de mais de 2 mil km². Caracteriza-se por ser uma belíssima região, com cachoeiras e lugares com esplêndidas formações rochosas. O Rio Cipó é o contribuinte de melhor qualidade de água e maior diversidade de peixes do Rio das Velhas. A Unidade tem como principais rios o Cipó, com 252,12 km de extensão, além do Ribeirão Soberbo, Córrego da Lapinha, Córrego Rio Preto, Córrego Mata Capim e Rio Parauninha.

 

Conheça mais sobre a UTE Rio Cipó na cartilha do Plano Diretor de Recursos Hídricos que aborda a área.

 

 

Fonte: CBH Rio das Velha

Please reload

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos