A rainha da reciclagem na África: Isatou Ceesay

28/06/2019

 

Nascida no Gâmbia, em 1972, Isatou Ceesay é um exemplo de liderança em prol da equidade social e contra a destruição dos recursos naturais. Conhecida como “a rainha da reciclagem na África”, ela criou em 1997 uma pequena associação para catadoras de materiais plásticos. O projeto, iniciado localmente, cresceu e ganhou destaque mundial.

 

O Njau Recycling and Income Generation, partiu de uma ideia simples: todos os finais de semana um grupo de mulheres locais percorria os bairros e feiras alertando para a correta destinação do lixo.

 

Segundo Isatou, desde pequena ela estava acostumada a ver pessoas jogando dejetos em riachos ou lotes abandonados. A parte mais difícil de seu trabalho foi mudar a visão das pessoas sobre o lixo. Em sua comunidade, era comum que as mulheres usassem pedaços de plásticos para acender os fornos caseiros. O resultado era uma alta taxa de doenças respiratórias, além de outros problemas graves de saúde.

 

O trabalho de Isatou é um exemplo de como o ativismo ambiental caminha lado a lado de uma política de justiça social. O ponto de transformação de sua comunidade foi quando ela teve a ideia de transformar o lixo em algo valioso e útil. O grupo de mulheres liderado por ela cria bolsas, tapetes e acessórios feitos com o plástico retirado dos lixões e depósitos. A renda obtida ajuda as mulheres a atingirem sua independência financeira e reduz o impacto ambiental. Atualmente o projeto atinge indiretamente 11 mil pessoas.

 

Em se tratando de um país onde 75% da população não têm acesso à educação, aprender um ofício representa uma chance real de mudança de vida. As peças criadas pelo projeto de Isatou se tornaram referência para diversos designs e seu modelo de sustentabilidade social passou a ser copiado em vários países.

 

Adaptado de Nara Guichon

Please reload

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos