Miriam Prochnow: Conheça a trajetória da Personalidade Ambiental de SC

23/08/2019

 

 

Nascida no Vale do Itajaí, em Santa Catarina, Miriam Prochnow é uma das mulheres mais ativa nas causas ambientais brasileiras. Seu interesse pela preservação da floresta nativa levou-a a fundar, com o marido Wigold Schäffer, a Apremavi – Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida. Atualmente a instituição é reconhecida internacionalmente por sua luta para a preservação e recuperação da Mata Atlântica local.

 

Ativista incansável, conscientizou centenas de agricultores que a mata é mais valiosa e detentora da vida. Instaurou práticas de produção de alimentos orgânicos entre agricultores, que sofriam todos os revezes advindos de práticas de agricultura com agrotóxicos. Atuando nas escolas públicas da região, sensibilizou educadores e alunos sobre o papel social de cada um.

 

Ao longo de 32 anos anos a Apremavi já plantou, no estado de Santa Catarina, cerca de 8 milhões de árvores nativas da Mata Atlântica. Miriam ministrou inúmeras palestras, no Brasil e no exterior, sobre temas que envolvem qualidade de vida e adequação ambiental em imóveis rurais, com ênfase na agricultura sustentável e orgânica, e na conservação da biodiversidade e da Mata Atlântica, incluindo a recuperação de áreas degradadas. Realizou trabalhos com agricultura orgânica, reflorestamento e restauração florestal em diversas propriedades em Santa Catarina, entre as quais muitas hoje são exemplo de “propriedades legais”, princípio criado pela Apremavi pelo qual uma propriedade precisa estar totalmente adequada à legislação e, ao mesmo tempo, ser produtiva e um lugar bonito e agradável para se viver.

 

Graças ao seu trabalho foram desenvolvidos diversos projetos e políticas públicas de combate ao desmatamento na região, especialmente a Federação de Entidades Ecologistas Catarinenses, criada em 1988. A atuação de Miriam colaborou ainda para o desenvolvimento do Decreto 750/1993, pioneiro em determinar, pela primeira vez, a proteção e o correto uso sustentável da Mata Atlântica.

 

Em 2013 foi inaugurada na cidade de Atalanta a nova sede de Apremavi. A instituição se tornou referência no cultivo de mudas de árvores nativas contra as mudanças climáticas.

 

Miriam é líder Avina, instituição que apoia e estimula lideranças em diferentes áreas (educação, meio ambiente, cultura etc.) em todo o mundo, e ajudou a criar e faz parte do conselho do Centro de Apoio Sócio-Ambiental (CASA), organização que apoia o desenvolvimento de pequenas e médias ONGs. É também fotógrafa, produtora e locutora de vídeos, além de coordenadora e autora de livros e publicações voltados ao meio ambiente e à educação. É integrante do Movimento Escoteiro, tendo sido chefe do Grupo Escoteiro José de Anchieta, em Brasília, na época em que suas filhas frequentavam o grupo. Foi condutora “Abraça” da Tocha Olímpica, representando as causas da sustentabilidade dos Jogos Rio 2016, indicada pelo FSC®, o Conselho Mundial de Certificação Florestal.

 

 

Adaptado de Nara Guichon e Miriam Prochnow

 

Please reload

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos