Sumário da água

Blog da REBOB

Drenagem Ácida de Mina e as Águas Subterrâneas


Escrito por Bruna Soldera (Instituto Água Sustentável IAS)


A Drenagem Ácida de Mina (DAM) é um dos principais problemas relacionados à atividade de mineração, ela é oriunda da oxidação de minerais sulfetados e pode causar um impacto ambiental enorme. Não é um processo simples de se explicar, mas conforme dito por Mello, Duarte & Ladeira (2014)é um fenômeno que se inicia quando rochas contendo minerais sulfetados são retiradas do interior da terra pelas atividades de mineração e, quando dispostas na superfície terrestre, oxidam-se por reação com água e oxigênio atmosféricos”. A DAM é caracterizada por baixo pH e altas concentrações de elementos tóxicos que colocam em risco as águas superficiais e subterrâneas, sendo os principais minerais que podem originá-la a pirita (FeS2) e a marcassita (FeS2), além da pirrotita (FeS), arsenopirita (FeAsS), calcopirita (CuFeS2) e outros minerais de sulfeto contendo ferro (Fe), cobre (Cu), arsênio (As), antimônio (Sb), bismuto (Bi), selênio (Se) e molibdênio (Mo) que podem também produzir soluções ácidas (GALHARDI & SOLDERA, 2018).

Quais os efeitos da DAM para as águas subterrâneas?

Conforme bem definido por Galhardi & Soldera (2018) “a mineração em céu aberto pode resultar em escavação profunda de minério no subsolo e geralmente envolve a criação de uma cava que se estende abaixo do nível freático. As águas subterrâneas são bombeadas para fora da cava para permitir que a mineração ocorra. Uma vez encerradas as atividades e o bombeamento, uma lagoa pode formar-se, preenchendo a estrutura. O mesmo ocorre no caso de mineração subterrânea, em que galerias no subsolo por vezes atingem o nível freático e podem ser preenchidas por água, uma vez cessada as atividades de extração mineral e o bombeamento da água”.

Fonte: https://www.pexels.com/pt-br/foto/escavacao-de-mineracao-em-uma-montanha-2892618/
Fonte: https://www.pexels.com/pt-br/foto/escavacao-de-mineracao-em-uma-montanha-2892618/

Assim, os reservatórios, barragens de rejeitos e resíduos de mineração podem produzir impacto negativo aos mananciais hídricos, sendo a disposição de resíduos provenientes das etapas de lavra e beneficiamento mineral a principal fonte de impactos ambientais, pois dão origem à DAM.

Levantar as características do local ajudará na gestão do impacto que a DAM pode causar

As características ambientais em áreas de mineração devem ser bem delimitadas para um planejamento racional da remediação da poluição. Para uma gestão eficaz e integrada de resíduos sólidos e da DAM, Anawar (2015) diz que a caracterização geológica, geoquímica, mineralógica e microtextural dos depósitos minerais antes das atividades de mineração terem início são imprescindíveis. Adicionalmente, estudos sobre processos de extração de minério, reações geoquímicas e microbianas, atenuação natural dos poluentes e efeito das mudanças climáticas para reabilitação sustentável das áreas de mineração são altamente requeridos.

Fonte: https://www.pexels.com/pt-br/foto/natureza-rochas-pedras-rochoso-216671/
Fonte: https://www.pexels.com/pt-br/foto/natureza-rochas-pedras-rochoso-216671/

Além disso, os usuários dos recursos hídricos da região devem ser caracterizados, fazer estudos sobre os mananciais hídricos, ter um plano de controle e remediação dos efeitos da DAM, levantar quais tipos de suportes legais será requerido, quais os impactos econômicos que a DAM pode causar, tudo isso deve ser levantado de forma criteriosa.

Como visto, os problemas causados pela DAM podem ser enormes e de grande proporção, assim seu controle e tratamento são importantíssimos tanto para os órgãos fiscalizadores como para a própria mineradora. Segundo Pereira (2015) “sabe-se que seu controle é muito difícil, assim os tratamentos se tornam muito importantes e necessários para esse problema. Na remediação são utilizados tratamentos, ativos ou passivos, os quais se diferenciam pelo fato da existência ou não da necessidade de introduzir energia no sistema para inicializar e continuar o processo. O tratamento físico-químico é o mais utilizado para DAM, porém os custos operacionais são elevados e a eficiência na remoção não é satisfatória de acordo com os parâmetros estabelecidos pela lei”

São necessários mais investimentos em pesquisas e tecnologias para tratamento de DAM, separação de metais e outros subprodutos que possam ser gerados no processo de tratamento. Conservar os recursos hídricos é sempre primordial!

Continue aprendendo sobre recursos hídricos e meio ambiente no Instagram do IAS.

Fonte: Instituto Água Sustentável IAS

ANAWAR, H.M. (2015). Sustainable rehabilitation of mining waste and acid mine drainage using geochemistry, mine type, mineralogy, texture, ore extraction and climate knowledge. Journal of Environmental Management, 158: 111-121. GALHARDI & SOLDERA, 2018: https://www.cea-unesp.org.br/holos/article/view/12247/8214 PEREIRA, 2015: https://www.unifal-mg.edu.br/engenhariaquimica/system/files/imce/TCC_2015_2/TCC%20-%20Luis%20Lemos.pdf

22 visualizações