Sumário da água

Blog da REBOB

ESG e águas subterrâneas


Escrito por Bruna Soldera


ESG - Environmental, Social and Governance (em português Ambiental, Social e Governança) – é um tema que está em foco e ditando regras no mercado e fundos de investimento. Segundo Juarez (2021) “as empresas que estão buscando melhor performance nas questões relacionadas a ESG estão melhores posicionadas em todos os quesitos: são mais seguras, têm mais longevidade, têm controle na gestão de riscos muito mais apurado, são mais críveis e dão mais segurança para compor a carteira de investimento para seus clientes”.


O papel ESG de uma empresa começa com seus valores e uma abordagem baseada em princípios para fazer negócios, isto é: “operar de maneira que, no mínimo, atenda às responsabilidades fundamentais nas áreas de direitos humanos e meio ambiente. Ao incorporar boas práticas em estratégias, políticas e procedimentos e estabelecer uma cultura de integridade, as empresas não estão apenas cumprindo suas responsabilidades básicas de ESG, mas também preparando o terreno para o sucesso a longo prazo” (ESG LEGAL SOLUTIONS, 2021).


Ao incluírem o ESG as empresas analisam aspectos como: consumo de água e matéria-prima, as mudanças climáticas e o desenvolvimento socioeconômico (INSTITUTO ÁGUA SUSTENTÁVEL, 2021).


Os princípios e práticas em ESG relacionadas ao Ambiental (E - Environmental), especialmente à água, estão se mostrando cada vez mais mandatórios frente ao crescimento do uso da água, a crise climática e hídrica (INSTITUTO ÁGUA SUSTENTÁVEL, 2021). Quer saber mais sobre ESG? Veja nosso artigo “ESG: o que é e por que é tão importante?” – AQUI!


Onde as águas subterrâneas se inserem nos princípios e práticas ESG?


A redução do uso de água potável pode ser o fator ESG mais importante. As empresas podem, na maior parte dos casos, reduzir o consumo de água potável interna e externa (em mais de 10% com muito, pouco ou nenhum custo, é um requisito dos sistemas de construção verde) preservando os recursos de água potável de baixo custo e mantendo seus recursos básicos, esta é uma responsabilidade ambiental para com as pessoas e o planeta (ESG LEGAL SOLUTIONS, 2021).


Uma vez que as águas subterrâneas representam 98% de toda a água doce disponível na Terra, elas são fundamentais para abastecimento humano, produção agrícola e produção de bens e serviços nas indústrias, sendo desta maneira fundamental seu bom uso e inseri-las nos princípios de ESG.


É amplamente aceito que uma pessoa só pode sobreviver sem água por 3 dias, porém mais de um bilhão de pessoas não têm acesso diário à água e mais de 2,7 bilhões de pessoas em todo o mundo encontram escassez de água por pelo menos 30 dias por ano (ESG LEGAL SOLUTIONS, 2021), sendo que em muitos lugares a água subterrânea é a única fonte de água doce. A escassez de água está cada vez mais severa diante dos impactos causados pelas mudanças climáticas, proteger os nossos reservatórios subterrâneos, os aquíferos, é fundamental!


A água subterrânea é essencial para a subsistência e a segurança alimentar de 1,2 a 1,5 bilhão de famílias rurais nas áreas mais pobres da África e da Ásia, e para o abastecimento doméstico de grandes populações em todo o mundo (UNESCO, 2012). Segundo Pietersen (2006) a gestão eficaz e práticas sustentáveis para águas subterrâneas é um dos maiores desafios. Por meio de uma estimativa, ficou evidente que 21 dos 37 maiores aquíferos do mundo são severamente explorados, provenientes da China, Índia, França e Estados Unidos (UNESCO - Water and Job, 2016). Globalmente, a taxa de captação de água subterrânea está aumentando de 1% para 2% ao ano, e muitas áreas onde há estresse hídrico subterrâneo também sofrem com estresse hídrico superficial.


A água subterrânea é extraída por poços com uma boa qualidade, utilizada no processo de produção dos mais variados bens e posteriormente é lançada como forma de efluente líquido em um recurso hídrico superficial (rio, lago), ou seja, a sua qualidade é degradada e ela não volta para o mesmo lugar – o aquífero. Isto ocorre diariamente em muitas indústrias, fábricas ou mesmo na agropecuária, e este fato não pode mais ser ignorado.


Uma indústria que atenda perfeitamente as leis e normas ambientais e tenha um poço outorgado e lance seus efluentes em um corpo hídrico observando as concentrações máximas aceitáveis, tem licença ambiental para captar uma água da natureza de melhor qualidade e lançá-la em pior qualidade. Caso a água do poço seja potável e o corpo hídrico seja da pior classe, a transferência de poluentes para o meio ambiente é muito significativa. O resultado, claro, é uma licença para poluir a água, a água subterrânea.


Precisamos passar a ter uma economia circular do ciclo da água, é preciso colocar ESG em prática para que possamos armazenar água suficiente nos reservatórios naturais para manter a qualidade da vida e da ecologia.


Como mencionado por Oliveira & Soldera “há tecnologia e conhecimento disponíveis para essa mudança cultural necessária e despercebida pela maioria das pessoas” (JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO, 2021).


Além disso, há um outro fator essencial, talvez o mais importante, a educação! É preciso fazer com que as pessoas saibam sobre as águas subterrâneas e os impactos que a sua contaminação, superexplotação podem causar em suas vidas, é preciso fazer as águas subterrâneas conhecidas para então cobrar ações que visem a sua conservação, pois só se preserva o que se conhece! ESG também é educar os funcionários, mudar o sistema de produção para que utilizem menos água e em consequência polua-se menos, contratar fornecedores socialmente e ambientalmente responsáveis, fazer colaborações com parceiros relevantes para a sociedade e meio ambiente.


Veja como as empresas podem integrar esses princípios em sua gestão e a projeção para o ESG nos próximos anos com Roberto Roche, Especialista em gestão de ESG em mais de 15 países.



Não existe uma solução única para a crise hídrica mundial, mas melhorar a eficiência do uso da água, seja superficial ou subterrânea, promover sua sustentabilidade, implementar princípios e práticas ESG nas empresas devem ser objetivos estratégicos. ESG também significa maior ganho de mercado, fortalecimento, investimento e longevidade!


Lembre-se: o mundo precisa de água, de água subterrânea!

Fonte: Instituto Água Sustentável


ESG LEGAL SOLUTIONS, 2021:

https://www.esglegalsolutions.com/2021/12/water-is-the-most-important-esg-factor/

INSTITUTO ÁGUA SUSTENTÁVEL, 2021:

https://www.aguasustentavel.org.br/conteudo/blog/149-esg-o-que-e-e-por-que-e-tao-importante

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO, 2021:

https://digital.estadao.com.br/article/281603833663353

JUAREZ, 2021: https://youtu.be/V3m-SbMSndw

Pietersen, K. (2006) Multiple Criteria Decision Analysis (MCDA): A Tool to Support Sustainable Management of Groundwater Resources in South Africa. Water SA, 32, 119-128.

United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization - International Centre for Technical and Vocational Education and Training (Unesco-Unevoc): Skills Challenges in the Water and Wastewater Industry: Contemporary Issues and Practical Approaches in TVET. Bonn, Germany, 34pp., 2012.

World Water Assessment Programme – WWAP: The United Nations World Water Development Report 2016: Water and Jobs. Paris: UNESCO, 148 pp., 2016.

1 visualização