top of page
Sumário da água

Blog da REBOB

GT Paranapanema inicia suas atividades com debate sobre operação dos reservatórios da bacia


Reunião de instalação do GT Paranapanema aconteceu por videoconferência


 

Nesta quarta-feira, 3 de fevereiro, o Grupo de Trabalho do Paranapanema (GT Paranapanema) realizou seu primeiro encontro por videoconferência, que contou com representantes da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) e demais instituições que integram o GT: Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema (CBH Paranapanema), Departamento de Águas e Energia Elétrica de São Paulo (DAEE) e Instituto Água e Terra do Paraná (IAT).


Criado pela Portaria ANA nº 361/2021, o Grupo de Trabalho do Paranapanema é coordenado pelo diretor da Área de Hidrologia, Vitor Saback, e busca elaborar proposta de condições de operação para os reservatórios das hidrelétricas instaladas no rio Paranapanema, que passa por São Paulo e Paraná. Nesse sentido, na reunião de instalação do GT a temática da operação dos reservatórios como alternativa para aumentar a segurança hídrica da bacia hidrográfica foi debatida.


Durante o primeiro encontro, aconteceu uma apresentação para contextualizar as atribuições legais quanto à gestão de recursos hídricos, assim como uma caracterização geral da bacia do rio Paranapanema e dos aproveitamentos hidrelétricos instalados nela.


A região vem enfrentando condições hidrometeorológicas e de armazenamento desfavoráveis, devido a chuvas e afluências abaixo da média – o que tem prejudicado a recuperação dos volumes de água armazenados nos reservatórios. Nesse contexto, a implementação de condições de operação para os reservatórios do Sistema Hídrico do Rio Paranapanema pode proporcionar o aumento da resiliência da bacia em condições hidrológicas desfavoráveis, como a atual. A próxima reunião está prevista para o início de março.


Além de ter criado o GT Paranapanema, a ANA iniciou as atividades da Sala de Crise do Paranapanema em 1º de março de 2019, quando a bacia já passava por seca. O grupo acompanha as condições de operação dos reservatórios das hidrelétricas de Jurumirim (SP), Chavantes (PR/SP), Capivara (PR/SP) e Mauá (PR) para conciliar a geração de energia e outros usos – especialmente o turismo. As reuniões podem ser assistidas por meio do canal da ANA no YouTube e os boletins diários de monitoramento estão disponíveis no site da Agência.

 

Bacia do rio Paranapanema


O rio Paranapanema nasce na Serra Agudos Grandes, em Capão Bonito (SP) e percorre 929 km até desaguar no rio Paraná. O curso d’água é usado para abastecimento, irrigação, navegação, geração de energia elétrica, criação de peixes, lazer, entre outros usos. Mais do que uma divisa entre Paraná e São Paulo, o rio Paranapanema é um eixo de integração entre duas regiões homogêneas em termos de identidade social, cultural e econômica.


A bacia do Paranapanema abrange o sul de São Paulo e o norte do Paraná com uma área de 106.554,534km², 247 municípios (115 em São Paulo e 132 no Paraná) e população de mais de 4,7 milhões de habitantes. Do Produto Interno Bruto (PIB) total dos municípios da bacia (R$ 76,5 bilhões, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de 2011), aproximadamente 24% (R$ 18,3 bilhões) referem-se às atividades industriais, 13% (R$ 10,1 bilhões) à agropecuária e 63% (R$ 48,1 bilhões) aos serviços.


Assessoria de Comunicação Social (ASCOM)

Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA)

(61) 2109-5495/5103/5129

8 visualizações

Comments


bottom of page