Blog da REBOB

Do Marrocos ao Brasil, 20 anos de história em favor da água


História do Fórum Mundial da Água começou em Marrakesh, em 1997. Desde então já foram sete versões, em sete países diferentes: Marrocos, Holanda, Japão, México, Turquia, França e Coréia do Sul. Pela primeira vez o evento acontece no hemisfério Sul. O país escolhido foi o Brasil.


O Brasil vai sediar, de 18 a 21 de março de 2018, o 8º Fórum Mundial da Água, o maior evento para tratar de recursos hídricos do mundo. Esta será a oitava versão do Fórum, que se repete a cada três anos e tem como objetivo maior conclamar a sociedade para uma discussão abrangente e democrática em torno do tema água. O Fórum é um evento organizado pelo Conselho Mundial da Água (World Water Council - WWC) em parceria com os Países sede.


Conheça a digital do Fórum Mundial da Água


Através da realização dos fóruns mundiais da água, o WWC contribui para sensibilizar sobre as questões globais ligadas aos recursos hídricos, principalmente, para a mobilização política em torno do tema. Atuando como um catalizador das discussões globais em torno da água, o Fórum é uma plataforma única onde a comunidade de água, a sociedade civil organizada e os agentes ​​políticos de todas as regiões do mundo podem se unir, debater e tentar encontrar soluções para alcançar a segurança hídrica no Planeta.


Em suas primeiras versões (1997, Marrakesh no Marrocos e 2000, em Haia, na Holanda), o Fórum trabalhou com a “Visão Mundial da Água”, propondo um exercício inédito e único sobre o futuro dos recursos hídricos em cada região do planeta. Os resultados dessas discussões foram apresentados no 2º Fórum, bem como o estabelecimento de ações concretas e compromissos para serem expostos no 3º Fórum (em 2003, na cidade de Kyoto, no Japão).


Em 2001, o Conselho elevou a questão do financiamento ao topo das suas prioridades, criando o Painel sobre Financiamento das Infraestruturas Hídricas, com o objetivo de procurar novas fontes de financiamento para a água a fim de evitar o cenário de "escassez de água" em 2025, data em que, segundo a ONU, mais de 2,7 bilhões de pessoas deverão sofrer diretamente com a falta de água. Estas questões foram colocadas durante a realização do 3º Fórum, em Kyoto.


Com o IV Fórum Mundial da Água (em 2006, na cidade do México) o WWC estabeleceu mecanismos de cooperação e coordenação para transformar a visão global em ações concretas, integrando questões universais àquelas de conhecimento regional e local.


Já o 5º Fórum Mundial da Água, que aconteceu em 2009 na cidade de Istambul (Turquia) deu voz às autoridades locais que foram encorajadas a melhorar a sua situação de água de seu país através da do “Consenso de Istambul sobre a Água”, que atingiu mais de 1000 signatários em todo o mundo. Neste evento também foi lançada uma ideia inovadora: a criação do Parlamento Mundial da Água, envolvendo agentes políticos de todos os países.


De 2009 a 2012, o envolvimento político através dos processos Ministerial, Parlamentar e das autoridades locais do Fórum aumentou consideravelmente, premiando os esforços do WWC para aumentar a presença da água na agenda política dos Países. A água finalmente foi reconhecida como uma prioridade mundial. Durante a Cúpula da Terra Rio 2012 + 20 (que aconteceu em 2012, no Brasil) o chamado “Diálogo de Desenvolvimento Sustentável” foi dedicado à Água. Neste mesmo ano aconteceu, em Marselha (França) , o 7º Fórum Mundial da Água, tendo como tema “Tempo de Soluções”.


Passadas sete edições de realização Fórum Mundial da Água, objetivo do Conselho Mundial da água é agora manter a água na mesa de discussões tendo em vista os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável pós-2015. “Compartilhando Água” será o tema do 8º Fórum Mundial da Água, que acontece no Brasil numa parceria do WWC, do governo brasileiro (através da ANA) e do governo do Distrito Federal (através da ADASA). Esta será a primeira vez que o Fórum acontece no hemisfério Sul. Vale a pena ressaltar que o Conselho Mundial da Água é presidido pelo brasileiro Benedito Braga.


2 visualizações

A Rede Brasil de Organismos de Bacias Hidrográficas - REBOB é uma entidade sem fins lucrativos constituída na forma jurídicos de Associação Civil, formada por associações e consórcios de municípios, associações de usuários, comitês de bacia e outras organizações afins, estabelecidas em âmbito de bacias hidrográficas.

Design & Marketing Digital

Criatividade Coletiva - Inteligência de Marketing para Eventos
  • Telegram
  • LinkedIn App Icon
  • Wix Facebook page