Sumário da água

Blog da REBOB

9º Fórum Mundial da Água começa com autoridades colocando a água no centro do debate geopolítico


9º Fórum Mundial da Água começa com autoridades colocando a água no centro do debate geopolítico mundial


Cerimônia de abertura aconteceu na última segunda-feira (21) com a presença de várias autoridades


O presidente do Senegal, Macky Sall, abriu os trabalhos do 9º Fórum Mundial da Água, durante a Cerimônia de Abertura Oficial, realizada na manhã da última segunda-feira (21), na Arena “Palais des Sports Dakar in Diamniadio”. Em seu discurso, Sall lembrou as ameaças ligadas à escassez de água, que originam conflitos, e apelou para que essa questão seja colocada no centro da agenda internacional.


A expectativa dos senegaleses é destacar que a temática dos recursos hídricos é fundamental para um desenvolvimento sustentável e com segurança. “O 9º Fórum Mundial da Água nos dá a oportunidade de soar o alarme sobre a gravidade da situação para que questões relacionadas a água permanecem no centro da agenda. A vida e a saúde de bilhões de pessoas ao redor do mundo estão em jogo. Mas também a preservação da paz e segurança internacional”, alertou Sall.


Para o Chefe de Estado senegalês, a magnitude dos desafios a serem enfrentados norteia diversos temas da edição 2022 do Fórum Mundial da Água, com foco em “mecanismos de financiamento e governança de água potável em áreas rurais; pesquisas científicas para maximizar a uso da água e a reutilização de águas residuais”.


O presidente do Conselho Mundial da Água (WWC, na sigla em inglês), Loïc Fauchon, pontuou três temas que merecem destaque: proteção dos recursos hídricos, investimentos e financiamento da água, e governança.


Fauchon destacou que é necessário inovar na gestão da água e promover a mudança de nossos hábitos para consumir melhor e menos. Ele também comentou para a necessidade de as constituições de todos os países garantirem o acesso universal a água. O presidente do WWC disse ser favorável ao perdão da dívida de água de países pobres, sob uma condição: construção imediata de uma infraestrutura de abastecimento e saneamento básico.


No que tange a governança, o WWC defendeu a criação de um Observatório Global da Água para a paz, o desenvolvimento e natureza.


A diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, apresentou durante a abertura do Fórum o relatório “Águas Subterrâneas: tornando o invisível visível” e atentou para a importância do tema. “As águas subterrâneas são 20 vezes mais importantes em volume do que a águas superficiais. Mas, embora abundantes e invisíveis, devem ser preservadas do uso inadequado”.


Water4allSDGs: metas da água para todos os ODS


A Agenda 2030 e seus 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) são um grande passo adiante com suas vinte metas globais para água e saneamento, quando antes havia apenas um.


Embora o 9º Fórum Mundial da Água esteja estruturado em torno desses ODS, eles ainda são pouco utilizados pelos stakeholders da água. Muitos percebem os ODS como estando muito distantes de seu cotidiano de ações por ser aparentemente muito complexo, o que limita o uso pelos governos.


Tentando alterar essa realidade, o WWC, ao lado da Secretaria do Fórum Mundial e da entidade “Parcerias Francesas pela Água”, lançou no Dia Mundial da Água, celebrado no dia 22 de março, a plataforma Water4allSDGs, que permite, mesmo a quem não conhece bem a Agenda 2030, ter acesso aos aspectos positivos ou negativos de projetos ou políticas em relação a todos os 17 ODS. Para acessar a plataforma, clique em: https://water4allsdgs.org/


Fonte: Consórcio PCJ

3 visualizações