Sumário da água

Blog da REBOB

Comitês PCJ se pronunciam sobre estiagem na assinatura da Região Metropolitana de Piracicaba

Prefeito Luciano Almeida solicita importantes investimentos ao Governo do Estado


(Sergio Razera, Luciano Almeida e Ivens de Oliveira)
(Sergio Razera, Luciano Almeida e Ivens de Oliveira)

O Prefeito de Piracicaba e atual presidente dos Comitês PCJ, Luciano Almeida, teve a palavra e discursou na tarde desta terça-feira (24) durante solenidade de sanção da lei de criação da Região Metropolitana de Piracicaba, em encontro de autoridades no Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo do Estado na capital paulista.


Em discurso assistido pelo governador de São Paulo, João Doria, pelo deputado estadual Roberto Morais, pelos diretores da Agência das Bacias PCJ (foto), Sergio Razera (Presidente) e Ivens de Oliveira (Financeiro e Administrativo), e inúmeras autoridades representando as cidades da recém oficializada Região Metropolitana de Piracicaba, Luciano Almeida listou grandes oportunidades que passam a se configurar mediante a essa evolução da região ao novo patamar.


Como prefeito da maior cidade do novo bloco administrativo que totaliza 24 cidades e 1,5 milhão de habitantes, Almeida destacou também as necessidades conjuntas da região. O grande destaque veio no âmbito da gestão de recursos hídricos, igualmente importante para as 76 cidades pertencentes aos Comitês PCJ que hoje preside, muitas delas inseridas na Região Metropolitana de Campinas e fora dela.


“Tendo sido eleito presidente dos Comitês PCJ Estadual e Federal, devo destacar que este início de estiagem que acomete todo o estado e muitas regiões do país, é um ponto que merece prioridade de investimentos nas Bacias PCJ. Nossos estudos e monitoramentos que se aproximam de 30 anos vêm nos mostrando que estamos abaixo da oferta ideal de água há quase uma década e isso fica explicito a cada estiagem mais intensa, como a vivida em 2014 e essa que está se caracterizando para 2022. Pela importância para o desenvolvimento industrial e econômico proporcionado pelas nossas cidades e que prosperam também o crescimento da nossa população, precisamos ter o Governo do Estado firme com a gente na conclusão das barragens de Pedreira e Duas Pontes e na importante criação do reservatório do Rio Corumbataí”, destacou Luciano.

Em seu pronunciamento, o prefeito ainda destacou providências específicas na Região Metropolitana de Piracicaba, pontualmente na Bacia do Rio Corumbataí, solicitando especial investimento para implantação de uma barragem entre as cidades de Rio Claro e Piracicaba, fruto de um amplo estudo de viabilidade desenvolvido pela Agência das Bacias PCJ nos últimos anos.


Para Sergio Razera, “A concretização da Região Metropolitana de Piracicaba é mais um passo na organização dos municípios desta região, facilitando o planejamento das ações necessárias para o enfrentamento da crise hídrica que vem se consolidando nas Bacias PCJ, especialmente no que diz respeito bacia do Rio Corumbataí. Nasce aqui hoje uma configuração administrativa muito favorável para a atuação da Agência das Bacias PCJ em auxiliar os municípios na cooperação de providências para a oferta de água, elemento fundamental para o amplo desenvolvimento das Bacias PCJ, em especial desta nova Região Metropolitana de Piracicaba”.



SOBRE A AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ E OS COMITÊS PCJ


A água tem diferentes usos – é fundamental em processos industriais, transporte, produção de alimentos, geração de energia, saneamento básico, entre outros. Gerenciar os valores arrecadados com a cobrança pelo uso dos recursos hídricos é uma das principais responsabilidades da Agência das Bacias PCJ.


Constituída em 2009, a Agência das Bacias PCJ é uma instituição de direito privado, sem fins lucrativos que completará 12 anos em 5 de novembro de 2021. As deliberações das ações a serem realizadas pela Agência das Bacias PCJ são feitas pelos Comitês PCJ.


Os três colegiados que formam os Comitês PCJ – Comitê das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (CBH-PCJ), Comitê das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ FEDERAL) e o Comitê das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba-Jaguari (CBH-PJ1) — são as instâncias máximas para a tomada de decisões sobre a gestão de recursos hídricos nas Bacias PCJ, com diretorias integradas.


No dia 18 de novembro, o comitê paulista (CBH-PCJ) comemorou 27 anos de instalação. Em março deste ano, o comitê federal completou 18 anos e o mineiro (CBH-PJ1), 13 anos.


As Bacias PCJ abrangem 71 municípios (66 paulistas e cinco mineiros). Os Comitês PCJ são compostos por representantes dos Governos Federal, dos Estados de São Paulo e de Minas Gerais, dos municípios, usuários dos recursos hídricos e da sociedade civil. Sua gestão é descentralizada e participativa, e busca a convergência das decisões desses colegiados como forma de garantir o desenvolvimento e a continuidade da gestão dos recursos hídricos nas Bacias PCJ.


A região das Bacias PCJ possui cerca de 5,7 milhões de habitantes e responde por cerca de 5% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro e 14% do PIB do estado de São Paulo.


Fonte: Comitês PCJ

9 visualizações