Sumário da água

Blog da REBOB

Estamos secando os continentes?


Escrito por Bruna Soldera - Instituto Água Sustentável IAS


As notícias falam sobre o nível dos oceanos aumentando, sobre os diversos impactos ao meio ambiente e a humanidade devido a isto, e os continentes estão secando? É uma relação direta? Continentes secando e o nível dos oceanos aumentando? O que isso pode ocasionar?

São perguntas complexas e que ainda são pouco discutidas por especialistas, mídia e sociedade. Um artigo publicado no Jornal Estado de São Paulo em outubro de 2021 mencionou que 15% a 25% da elevação do nível dos oceanos é devido a água subterrânea extraída por poços, que vão para mananciais de água superficiais (rios, lagos) e eventualmente chegam aos oceanos; uma pesquisa da Mapbiomas mostrou que a superfície hídrica do Brasil teve uma redução de 15,7% nos últimos 36 anos, equivalente ao Estado de Alagoas (MAPBIOMAS, 2021; IAS, 2021). Fonte: https://www.pexels.com/pt-br/foto/fotografia-de-cachorro-sentado-no-chao-761040/ Se isso está acontecendo com as águas superficiais, o cenário das águas subterrâneas estaria em uma pior condição? Pois, são os aquíferos nossos reservatórios, são responsáveis por armazenar água subterrânea e alimentar os rios, lagos, nascentes.

O que estamos fazendo para secar os continentes?

A resposta é simples: o uso não sustentável e irracional da água, a superexplotação de aquíferos, contaminação dos recursos hídricos!

Para ilustrar essa triste situação vamos ver alguns exemplos:

- Cerca de 95% dos moradores do Vale Central da Califórnia, dependem das águas subterrâneas para uso doméstico. Mas esse recurso está ficando cada vez mais escasso, à medida que a seca prolongada e o clima seco, juntamente com uma indústria agrícola vasta, drenaram as reservas subterrâneas. Grande parte da água que resta é contaminada pelo escoamento de fertilizantes das fazendas e por toxinas naturais no solo que se misturaram com as águas subterrâneas e surgem em meio a extensas perfurações e bombeamentos. Hoje, mais de um milhão de californianos não têm água potável para beber em casa.

Cerca de 2 milhões de residentes rurais da Califórnia dependem de água de poços domésticos privados para beber, cozinhar, tomar banho e dar descarga. Esses poços são um artefato de muito tempo, quando as águas subterrâneas eram abundantes e limpas, e ter acesso próprio a elas significava ser autossuficiente (THE GUARDIAN, 2020). Fonte: https://www.pexels.com/pt-br/foto/ceu-azul-ceu-de-brigadeiro-california-geologia-7895335/

- Cada vez mais, a água potável é fornecida a partir de um vasto aquífero sob a Cidade do México. O lençol freático cai e a cidade afunda. A expansão urbana e o clima mais quente devido às mudanças climáticas colocaram ainda mais demanda no aquífero super utilizado. E, à medida que o lençol freático cai, o mesmo ocorre em muitas partes da cidade - em até 40 centímetros por ano em algumas áreas. Conforme o solo afunda, ele deixa edifícios inclinados - mais notavelmente, a icônica catedral no centro histórico da Cidade do México - bem como estradas rachando e afundando e canos rompendo (NPR, 2018). Essa água subterrânea extraída por poços na grande metrópole do México acaba por ter como seu destino final os oceanos, menos água no continente e mais água nos oceanos! Fonte: Josh Harner/The New York Times (https://tecnoblog.net/meiobit/436027/cidade-do-mexico-afundando-compactacao-solo-subsidencia/)

- Na Líbia, a sua capital Trípoli é abastecida pelo maior projeto de abastecimento por poços que se conhece, o chamando Great Man-made River, grande rio feito pelo homem, que é na verdade um aqueduto com 2 metros de diâmetro que transporta água por mais de 2.500 km. Trata-se de água fóssil, uma água que foi armazenada por chuva e infiltração no aquífero há mais de 10.000 anos. Porém, especialistas já noticiam os dias contados para que o reservatório seque e não forneça mais água, dentro de 50 anos devido o uso intenso os poços irão secar! (MIDDLE EAST EYE, 2017). É uma triste realidade que mostra claramente o comprometimento de abastecimento de água para toda uma população. Fonte: http://www.alluringworld.com/great-man-made-river/ Assim, vamos maltratando as nossas reservas de água e contribuindo para secar os continentes.

“Precisamos ter um consumo mais econômico de água, sem dúvidas, mas isso não será suficiente. Apesar de todas as formas de economia de água serem muito bem-vindas e necessárias, as estimativas mostram que até 2050 a população mundial deverá estar próxima de 10 bilhões de pessoas, um aumento de 25%. A esperada melhoria de vida das pessoas, algo desejável e motivo pelo qual todos devemos lutar, vai aumentar muito o consumo de água total do planeta. Em resumo, não vamos e não podemos parar de usar água” (JORNAL ESTADO DE SÃO PAULO, 2021).

É preciso mudar essa realidade, ter uma economia circular de água, temos tecnologia e conhecimento para isso, é preciso uma mudança cultural, e é preciso lembrar que “o mundo precisa de água!”

Conheça o Curso de Especialização EAD em Gestão de Recursos Hídricos da UFPA, um curso multidisciplinar, com professores da Universidade e do mercado de trabalho. Além de aulas dinâmicas, o aluno terá acesso a webinars com profissionais já estabelecidos da área. Essa é a sua chance de evoluir:

https://materiais.aguasustentavel.org.br/gestao-de-recursos-hidricos Fonte: Instituto Água Sustentável IAS

JORNAL ESTADO DE SÃO PAULO, 2021: https://digital.estadao.com.br/article/281603833663353 IAS, 2021: https://aguasustentavel.org.br/conteudo/blog/145-aguas-subterraneas-historias-invisiveis MAPBIOMAS, 2021: https://mapbiomas.org/superficie-de-agua-no-brasil-reduz-15-desde-o-inicio-dos-anos-90 MIDDLE EAST EYE, 2017: https://www.middleeasteye.net/opinion/trouble-ahead-gaddafis-great-man-made-river NPR, 2018: https://www.npr.org/2018/09/14/647601623/mexico-city-keeps-sinking-as-its-water-supply-wastes-away THE GUARDIAN, 2020: https://www.theguardian.com/

4 visualizações