Sumário da água

Blog da REBOB

Feira de Pesca e Piscicultura foca na economia sustentável no entorno do Lago da UHE Três Marias

A cidade de Felixlândia/MG, que fica na bacia do São Francisco, recebeu, nos dias 24, 25 e 26 de junho, com apoio do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco – CBHSF, um rico debate sobre economia, conservação ambiental, cuidado social e turismo sustentável, durante a III Feira de Pesca e Piscicultura de Minas Gerais – FEPPISHOW 2022.



A 3ª edição da feira contou com palestras e minicursos, onde foram promovidos debates sobre novas experiências nas diversas fases da produção aquícola mineira, além de discussões sobre a regularização da cadeia da piscicultura, o equilíbrio entre o progresso e a conservação ambiental, focados numa economia sustentável, tendo em vista que o entorno do Lago da UHE Três Marias é um dos maiores produtores de pescado, colocando Minas Gerais na 2ª posição na produção de Tilápia do país. Tanto que o curso de produção de linguiça usando este peixe foi um sucesso na FEPPISHOW.


De acordo com o empresário Rodolfo Cheloni, que participou da FEPPISHOW e, é dono de um entreposto de pescado no Distrito de São José do Buriti, em Felixlândia, cuidar do Rio São Francisco influencia muito na qualidade da produção. “Somos o primeiro entreposto de pescado familiar de Minas Gerais com selo do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e com aprovação de outros órgãos, mas a questão da preservação ambiental sempre foi uma bandeira nossa, não foi exigência de nenhuma instituição, tanto que toda água utilizada no frigorífico é tratada e usada novamente, não é devolvida ao rio” observou Cheloni.


Segundo o prefeito de Felixlândia e membro do CBHSF, Nonô Carvalho, o principal objetivo do evento, além de fomentar uma atividade econômica que é desenvolvida na represa de Três Marias e pode ser disseminada por toda a bacia é promover também o turismo sustentável e a pegada ambiental. “A piscicultura aqui é muito forte, mas o turismo é uma realidade crescente no município e na região. Temos mais de 260 km de margem de represa. Então, a feira fomenta a piscicultura e o turismo. O rio está aí, disponível, portanto, temos condições de produzir a Tilápia de forma sustentável, preservando o rio. Temos que colocar na cabeça do cidadão que a água é importante na vida de qualquer pessoa. E esse é o papel da feira: promover as atividades econômicas e a conscientização ambiental”, enfatizou Nonô.


Para o coordenador da Câmara Consultiva (CCR) do Alto São Francisco, Altino Rodrigues, fomentar atividades econômicas na bacia do São Francisco de forma sustentável é uma maneira de trabalhar a qualidade da água e a qualidade de vida de quem vive em torno do rio. “Cada ano que passa vejo as pessoas se apropriando e entendendo a ideia de que a sustentabilidade é a receita para que possamos oferecer água em quantidade e qualidade para as futuras gerações”, disse o coordenador.


Assessoria de Comunicação do CBHSF: TantoExpresso Comunicação e Mobilização Social *Texto: Tiago Rodrigues *Fotos: Tiago Rodrigues

5 visualizações