Sumário da água

Blog da REBOB

Igam inicia consulta pública para elaboração do Plano Mineiro de Segurança Hídrica

As primeiras atividades do PMSH deverão ser realizadas na Bacia do Rio São Francisco, sendo posteriormente estendidas a todas as bacias do Estado

As primeiras atividades do PMSH deverão ser realizadas na Bacia do Rio São Francisco, sendo posteriormente estendidas a todas as bacias do Estado
Evandro Rodney/IEF

O Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) deu início, na última sexta-feira (19/3), à consulta pública destinada à apresentação de comentários e sugestões voltadas ao aprimoramento do Termo de Referência que estabelece a contratação de consultoria especializada para elaboração do Plano Mineiro de Segurança Hídrica (PMSH). As manifestações deverão ser encaminhadas, até às 18h do dia 14 de abril, para o endereço eletrônico segurancahidrica@meioambiente.mg.gov.br.

O Termo de Referência (TR) publicado prevê o subsídio à gestão de recursos hídricos no Estado, por meio da definição de áreas prioritárias para atuação do PMSH; desenvolvimento de banco de projetos com a definição de ações estruturantes (obras de infraestrutura) e não-estruturantes (infraestrutura verde e medidas de gestão), além da elaboração de um plano de comunicação com o objetivo de difundir informações relacionadas ao projeto. A empresa contratada terá um prazo de 15 meses para implementação das ações.

De acordo com a coordenadora da Assessoria de Programas, Projetos e Pesquisa em Recursos Hídricos do Igam, Clara Oyamaguchi, uma das responsáveis pela elaboração do Termo de Referência, o documento deverá servir de orientação para a proposta técnica das empresas interessadas em participar da licitação pública. O Termo conta com três eixos de atuação previamente definidos: conservação e restauração da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos relacionadas à água; produção sustentável e uso racional dos recursos hídricos e saneamento; e controle da poluição e obras hídricas.

“Buscamos, por meio do TR, estabelecer mecanismos capazes de garantir a otimização dos investimentos e a assertividade das ações propostas, mantendo como premissa uma atuação convergente por parte dos órgãos de Estado e a integração dos recursos disponíveis”, afirma a coordenadora.

O PMSH consiste em uma das etapas do Programa Estratégico de Segurança Hídrica e Revitalização de Bacias Hidrográficas de Minas Gerais: Somos Todos Água - projeto prioritário do Governo de Minas - e deverá, segundo o TR publicado pelo Igam, estabelecer alinhamento com outros projetos estruturantes relacionados à gestão hídrica existentes no Estado, como o Plano Estadual de Recursos Hídricos (PERH); o Plano Nacional de Segurança Hídrica (PNSH) e planos municipais de saneamento básico.

Na avaliação do diretor-geral do Igam, Marcelo da Fonseca, o PMSH permitirá aos órgãos ambientais do Estado uma definição objetiva de todas as áreas prioritárias de Minas Gerais e quais intervenções deverão ser implementadas em cada localidade. “A partir da definição das áreas prioritárias, o próximo passo é trabalhar os projetos executivos para que se tenha o empenho de recursos, com resultados efetivos. O Plano é um grande banco de projetos no qual reuniremos as informações técnicas necessárias à implementação das ações previstas”, explica.

Acesse o Termo de Referência na íntegra

PLANO MINEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS

O Plano Mineiro de Recursos Hídricos (PMSH) é uma das metas do convênio assinado, em dezembro de 2020, entre o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), e o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR). O acordo prevê um investimento de R$6,6 milhões direcionados a projetos executivos de ações capazes de ampliar a segurança hídrica dos mineiros.

Projeto prioritário do governo estadual, o PMSH tem por objetivo a execução de ações de conservação, recuperação, manejo e uso sustentável dos recursos naturais, em especial a água, associadas à realização de mobilizações socioambientais e de revitalização, tais como: obras de saneamento; reflorestamento; recuperação de áreas de proteção permanente e recarga; recomposição da cobertura vegetal; redução dos processos erosivos; conservação da biodiversidade; promoção da educação; mobilização; articulação interinstitucional e cultural; desenvolvimento, apoio e disseminação de práticas sustentáveis.

Em Minas Gerais, a Constituição do Estado possui seção específica quanto à política hídrica, prevendo genericamente a proteção dos recursos hídricos. A Política Estadual de Recursos Hídricos, estabelecida pela Lei n° 13.199 de 1999, tem como objetivo assegurar o uso múltiplo da água, em quantidade e qualidade, às gerações presentes e futuras, promovendo a utilização racional e integrada dos recursos hídricos, além de atuar na prevenção e defesa contra eventos hidrológicos e efeitos adversos da poluição, das inundações e da erosão do solo.

Edwaldo Cabidelli Ascom/Sisema


Fonte: Instituto Mineiro de Gestão das Águas - Igam

13 visualizações