Sumário da água

Blog da REBOB

MDR divulga empresa vencedora de edital para construção do quarto trecho do Ramal do Apodi, no RN

Construtora selecionada ofereceu o menor preço. Proposta foi de R$ 935,8 milhões para a execução de obras civis


O Ramal do Apodi vai levar as águas do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco a 48 municípios potiguares, cearenses e paraibanos (Foto: Adalberto Marques/MDR)

Brasília (DF) – Mais um passo foi dado para a construção do Ramal do Apodi, no Rio Grande do Norte, que vai levar as águas do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco a 48 municípios potiguares, cearenses e paraibanos. Nesta quarta-feira (2), o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) divulgou o resultado final do edital de seleção da empresa que realizará a construção do trecho IV do empreendimento. A vencedora foi a construtora Queiroz Galvão, que apresentou o menor custo – R$ 935,8 milhões – para a execução de obras civis, aquisições, montagens, comissionamentos, pré-operação e elaboração de projetos executivos complementares.


“Esta é a última etapa do Projeto de Integração do Rio São Francisco, que vai permitir que milhares de nordestinos do Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte tenham acesso à água, um bem tão valioso, especialmente para o povo que reside no semiárido”, destacou Marinho. “O compromisso do Governo Federal é de não medir esforços para finalizar esta obra tão importante para o Nordeste”, completou.


A previsão é que esta quarta etapa do Ramal do Apodi seja concluída em quatro anos, a partir da assinatura da ordem de serviço, que está prevista para o fim deste mês de junho, com a presença do presidente Jair Bolsonaro e do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. Ao todo, 750 mil pessoas serão beneficiadas.


O Ramal do Apodi faz parte do trecho final do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco e terá 115,3 quilômetros de extensão. A água será transportada por gravidade a partir do Reservatório Caiçara, na Paraíba, até o Reservatório Angicos, já no Rio Grande do Norte. A vazão será de 40 m³ por segundo até o quilômetro 26, de onde deriva o Ramal do Salgado, que levará as águas para o estado do Ceará. Após essa derivação, a vazão será de 20 m³ por segundo. Toda a infraestrutura contará ainda com três áreas de controle, 23 trechos de canais, com extensão de 96,7 quilômetros, sete aquedutos, oito rápidos e um túnel.


O Rio Grande do Norte será o estado com a maior quantidade de municípios beneficiados pelas águas do ‘Velho Chico’ transportadas pelo Ramal do Apodi: são 32 cidades, com população estimada em 478 mil pessoas. A porta de entrada será Major Sales, de onde segue para o Rio Apodi, que banha Mossoró, segundo maior município do estado e importante polo regional do Nordeste.


Com a chegada das águas no Rio Apodi, o Projeto São Francisco será interligado aos açudes Pau dos Ferros e Santa Cruz, dois dos principais reservatórios potiguares, ampliando a oferta hídrica para o desenvolvimento de atividades agrícolas no perímetro da Bacia do Apodi, que tem alto potencial de solo e localização privilegiada para a exportação de alimentos para o exterior.


A região oeste da Paraíba também será diretamente beneficiada pela construção do Ramal do Apodi, impactando positivamente a vida de cerca de 109 mil pessoas em sete cidades. Além disso, a expectativa é que as novas condições de segurança hídrica beneficiem a região de Cajazeiras e aumentem a capacidade produtiva dos projetos de irrigação Lagoa do Arroz e Várzea da Ema, já implantados, e de áreas ribeirinhas ao longo do Rio Cacaré.


Por sua vez, 170 mil pessoas de nove municípios cearenses serão beneficiadas por mais esse trecho do Projeto de Integração do Rio São Francisco. É esperado que a infraestrutura possibilite o aumento da segurança hídrica da irrigação já desenvolvida e a expansão da agricultura irrigada na região da Chapada do Apodi, na fronteira do Ceará com o Rio Grande do Norte.


Fonte: Ministério do Desenvolvimento Regional

9 visualizações