top of page
Sumário da água

Blog da REBOB

Mulher em qualquer lugar: uma parte da minha história

Heliana Rodrigues de Souza



Foi em 2023, ou foi em 2019, ou será que foi em 2015 ou 1999. Na verdade, foi desde o início dos tempos, que a mulher é vista pela sociedade como uma simples coadjuvante de sua própria vida. No patriarcado, a mulher é a filha de alguém, depois a esposa de alguém e por fim a mãe de alguém. Sim, realmente a mulher pode ser filha, esposa e mãe, porém, além disso é primeiramente, mulher, devendo assumir o papel de protagonista, decidindo em qual lugar está, qual roupa vestir, qual comportamento tomar, qual profissão seguir. Mas, a sociedade não preparou um papel principal para a mulher, se seguirmos as nossas ambições, somos rotuladas como vilãs. Portanto, foi em 2015 que decidi ser a antagonista da história.


Como já perceberam, sou mulher. Sou também do interior do interior, Zona Rural do Sertão Cearense é onde fica a cidade onde nasci, cresci e me criei. Lá a Maria é do Seu Zé e a Ana do João, que são donas de casas enquanto os esposos trabalham na agricultura familiar. Sou também engenheira, e é aqui que começa o meu reencontro. Em 2015, seguindo o desejo de meus pais, estudava o ensino médio e curso técnico para o agrado deles. Porém, surgiu a oportunidade de cursar engenharia, acontecimento que eu nunca ousaria sonhar. Pois, engenharia era lugar de homem.


Entretanto, mesmo sem confiança tive coragem para enfrentar o meu percurso. E no final, consegui algo que não sonharia, eu na engenharia formada em um Campus do interior, e a primeira a conseguir tal feito na minha família e comunidade. Nessa altura eu também já era mãe, imaginem o cenário: mulher e mãe no mercado de trabalho. Apesar das dificuldades enfrentadas por todas nós, tive a chance de mostrar para o meu município natal que a gestão ambiental; gestão de resíduos sólidos; gestão de recursos hídricos; licenciamento ambiental; projetos de saneamento básico e rural; inclusão social; gestão participativa nas políticas públicas ambientais municipais e educação ambiental poderiam ser realizadas por uma mulher com a mais perfeita maestria.


Agora, depois de muitas aventuras e desventuras, retorno para a faculdade, como servidora. E o meu papel nesse espaço de formação de pessoas é fortalecer as discussões sobre a importância da mulher na sociedade e na proteção do meio ambiente, através de um exemplo vivo de enfrentamento do olhar preconceituoso da coletividade. Almejo também, alcançar a difícil missão de conscientizar ambientalmente e transmitir conhecimento sobre ações de sustentabilidade e território de produção de saúde ambiental e desenvolvimento socioambiental para os que são os grandes responsáveis pelo nosso futuro. E com certeza, a mulher como uma agente ativa e transformadora da nossa atual realidade socioambiental.


Portanto, qual é o lugar da mulher? O meu lugar é sendo filha dos meus pais, mãe do meu filho, sendo engenheira, trabalhadora, sendo festeira, sendo sonhadora, sendo transformadora, sendo ambientalista, sendo feliz, sendo o que eu quiser ser onde eu estiver. E corrigindo, foi em 1999, pois eu só poderia ser a mulher protagonista da minha história. Eu consegui, então, você também é capaz, descubra o seu lugar.





Heliana Rodrigues de Souza - Engenheira Ambiental, Especialista em Gestão, Licenciamento e Auditoria Ambiental. Técnica de Laboratório / Meio Ambiente na UFC Campus Crateús. Instagram @helianacoelho E-mail: helianaalexandreinfo@gmail.com


45 visualizações
bottom of page