Sumário da água

Blog da REBOB

Mulheres aguerridas da gestão participativa das águas em Mato Grosso


Leonice de Souza Lotufo

Lilian Fátima de M. Apoitia


O Estado de Mato Grosso, chamado de “Estado das Águas” por Vilma Cavinatto (1995), possui uma força excepcional, “As Mulheres Aguerrida das Águas”, como relataremos neste artigo. Iniciamos no fim da década de 90, com 2 mulheres decididas, Lilian Fátima de Moura Apoitia (Geóloga) e Marise Helena Morbeck Curvo (Engª Sanitarista), que com o entendimento da recém aprovada Política Estadual de Recursos Hídricos, conhecida como a Lei da Águas, se empenharam para que a mesma pudesse ser implantada no Estado, fazendo valer o seu preceito de uma gestão integrada, descentralizada e participativa. E foi nessa época que começaram a organizar a estrutura e delinear toda a gestão hoje implantada em Mato Grosso. Com isso, mais mulheres, como Leonice de Souza Lotufo (Geóloga e Guia de Turismo) vieram corroborar com a aplicação da Lei 6.945/97 e implantar a gestão participativa das águas.


No primeiro ano, 1998, Marise Curvo e Leonice Lotufo, participaram da “Primeira Assembleia General de Organismos de Cuencas del La America Latina”, em Bogotá-Colômbia, e de lá vieram prontas para realizar o primeiro Curso Internacional de Gerenciamento por Bacia, em Cuiabá, com a participação de países das Américas Central e do Sul, ministrado pelos representantes do Office de L’eau da França. A partir deste curso trilíngue, perdemos o medo de organizar eventos e de envolver a sociedade na gestão das águas, tendo como um dos principais objetivos desta equipe a mobilização social.


Em 1999, começando pela implantação do Centro de Referência do Movimento de Cidadania pelas Águas em Mato Grosso, evento realizado em praça pública, no Porto em Cuiabá, com a participação de vários setores como Educação Ambiental, Fiscalização da antiga Fundação Estadual de Meio Ambiente - FEMA, hoje SEMA, Secretaria de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso e outras várias entidades relacionadas a água e ao meio ambiente, tais como: Marinha do Brasil, Corpo de Bombeiros, Polícia Florestal, Universidades, Ongs, Grupos de Escoteiros, Clubes de Serviços, etc. Houve entrega de prêmios dos concursos de desenho e redação, sendo, bicicletas para os vencedores e computadores para as escolas participantes. Tivemos também passeio de barco com os estudantes da Grande Cuiabá; exposições de produtos relacionados à agua; como: barcos da Marinha, material apreendido na fiscalização, equipamento do laboratório de análise da água, banners educativo e informativo, material didático, voltado ao meio ambiente e a água.


A partir de 2000, com o intuito de conhecermos os nossos prováveis parceiros das águas no Estado, começamos timidamente, a elaborar a criação do nosso primeiro “SEMIAGUAS MT”, assim chamávamos os nossos Seminários Estaduais de Recursos Hídricos de Mato Grosso, ao qual executamos consecutivamente 9 versões na capital. Neles tínhamos o objetivo de identificar pessoas que trabalhavam, defendiam e amavam nossos rios, tanto na parte técnica como na parte artística, tais como os professores das escolas das redes públicas e privadas, das universidades, ativista de ONGs e OCIPs, artista locais das artes plásticas, cênicas, poetas, músicos, enfim, qualquer pessoa que simpatizasse com o tema e se propusesse a nos mostrar o que fazia. Maria de Fátima Seehagen (artista plástica) nos orientava e ajudava na área artística destes eventos.


Anualmente promovíamos, de forma eclética, eventos estaduais e regionais, executamos mais 8 Seminários Regionais de Recursos Hídricos em outros municípios, vários encontros públicos, alguns diálogos sobre águas subterrâneas e superficial e muitos cursos informativos sobre gestão participativa das águas. Participamos de centenas de outras atividades ao qual a equipe era chamada, com grande envolvimento de técnicos de vários órgãos estaduais, municipais e federais, profissionais com afinidades com a água, professores de todos os níveis públicos e privados, usuários da água, representantes de Ongs, Oscips e membros da sociedade civil interessados, além de artistas de várias artes, que se envolveram nos nossos eventos. Todos com apresentações técnicas, exposições de trabalhos, experiências escolares e domésticas, apresentações artísticas, esculturas e performances, dentre outras atrações, e sempre com larga produção de muito material de divulgação e gratuitamente aberto ao público.


Alguns eventos nacionais intercalaram esta sequência de programação anuais, o Workshop de Fomento a Implantação de Comitês de Bacias Hidrográficas (CBHs), com ênfase ao Rio Cuiabá, teve a participação de muitos representantes do Brasil e principalmente do Estado de Mato Grosso do Sul onde a profª Synara Olendzki Broch, desde então tem nos apoiado na tentativa de integrar as ações no Pantanal.


Em nossos eventos sempre trazíamos experiências de atores/peritos do cenário nacional, como representantes da Agencia Nacional de Água - ANA, Rede Brasil de Organismos de Bacia - REBOB. Nestas oportunidades, podemos trazer mulheres que contribuíram com nossa formação na gestão participativa, a qual agradecemos a eterna Musa Inspiradora, Suraya Modaelli, que sempre nos ajudou, ensinou e promoveu a participação de representantes de Mato Grosso em eventos nacionais. O mesmo dizemos aos nossos colegas (homens), que também dedicaram seu tempo para ajudar nossa equipe técnica.


O XIII Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas de 2004, contou com a geóloga Lilian Apoitia, na organização técnica do evento e na Comissão técnica Internacional do Projeto Aquífero Guarani. Este congresso foi fantástico e impulsionou as questões relacionadas as águas subterrâneas no Estado.


Com o aprendizado e apoio dos dirigentes da SEMA, começamos a participar das reuniões do Colegiado Coordenador do Fórum Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas. Nos empenhamos em levar representantes da sociedade e do poder público, de ônibus até Foz do Iguaçu, Rio de Janeiro e Uberlândia, para participar dos ENCOB’s, dando início a participação maciça dos nossos CBH nestes encontros.


Motivados com a grandiosidade destes eventos, captamos para 2012, o XIV ENCOB – Encontro Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas, em Cuiabá, no qual o apoio e envolvimento da Engª Sanitarista, Marizete Caovill, então Secretária Adjunta da Secretaria das Cidades de Mato Grosso e da técnica da Gerência de Fomento e Apoio a Comitês de Bacias – GFAC, Lênis Terezinha Falcão Moreira da Silva, e toda a equipe da SEMA, REBOB, FNCBH e Ministério Público, empresas de organização de eventos contratadas, conseguimos finaliza-lo, com tremendo sucesso. Estas conquistas levaram Leonice Lotufo a ser a primeira mulher eleita como Coordenadora Adjunta do Fórum Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas - FNCBH, Biênio 2015/2017.


Participamos de eventos internacionais como representante do Estado e da REBOB. Nos Fóruns Mundiais das Águas, na França, da Coreia do Sul e do Brasil, ainda como Diretora Região Centro-Oeste da REBOB e Secretária Adjunta da Rede Latino Americana de Organismos de Bacias/Red Latino Americana de Organismos de Cuencas - RELOB/RELOC. Estivemos nas Asambleas Generales Mundiales de la Red Internacional de Organismos de Cuencas-RIOC, Brasil, México, e ainda em outros eventos.


Graças a maravilhosa equipe técnica da SEMA e todo seu empenho, sensibilizamos, mobilizamos e efetivamos 10 CBHs no Estado e temos um pronto para ser investido, infelizmente a pandemia e o processo eleitoral municipal, impossibilitou a posse do CBH Alto Paraguai Superior, até neste momento.


Assim sendo, agradecemos a mulheres que se empenharam para a criação e implantação dos Organismos de Bacia (Conselho e CBHs) em suas Regiões/Bacias, entre elas, destacamos:


No Órgão Coordenador/Gestor - SEMA-MT, a primeira Gerente de Fomento e Apoio à Comitês de Bacias Hidrográficas (GFAC), da Leonice de Souza Lotufo, (2006-2018) e a analista, Lênis Terezinha Falcão Moreira da Silva, e mais colaboradoras do processo de fomento e implementação da para Gestão Participativa na SEMA: Doroty Q. Topanotti, Gabriela R. Priante, Railda A. dos Santos, Carla de Cássia F. dos Santos, Regina M. A. Balata, Elaine Regina de Matos, Adélia A. de Araújo, Vânia Marcia M. G. Cesar, Sanny Saggin, Ellen K.K. Pantoja, Gleidy M.U. de Arruda, Juremi Pinheiro, Maria de Fátima Cardoso, Mary Aparecida R. de Jesus, Daisy Mailla de S. Barbosa. Em especial Lílian F. Moura Apoitia, Lorena M. Nicochelli, Meiriane P.Silva no programa PróComitê.


No CEHIDRO – Jaqueline Leite, Sibelle C. G. Jakobi, Danielly G. da Silva e Alessandra Panizi.


Nos CBHs do Estado - 1. COVAPÉ – Clélia Amanda Tiozo Silva, Brigitte Braun, Dayani Guero e Maria de Fatima A. de Moura; 2. SEPOTUBA – Edenir Maria Serigatto (presidente), Silva do Nascimento, Cristina Delicatto, Valdirene S. de Jesus, Divina S. Godoy, Caroline A. Abreu; 3. BAIXO TELES PIRES – Vivianne M. Sá Arruda, Ivonete Salete Jacques Marília Carnelutti, Aparecida S. Sicuto, e Solange Aparecida Arrolho (presidente); 4. SÃO LOURENÇO – Maria Regina Carnevali, Simone E. de Souza, Milly Cardinal e Carmencita M. S. Tabareli; 5. ALTO TELES PIRES MD – Maria Fernanda Canabarro, Elen Aparecida S. P. Matricardi, Cristina Ferri, Edneuza A. Trugillo, Luciane Bertinatto (presidente), e Ivete M. Franke (presidente); 6. CUIABÁ ME – Observamos que a primeira diretoria era inteiramente feminina. Eliana B. N. R. Lima (presidente), Sara Suely Attílio Caporossi (vice), Dioni Maria Attilio, Suzan L. de Andrade, Letícia Bertaia, Telma Luzia Monteiro, Letícia A. da S. Dionel, Dirce Inês de C. Mesquita, Rosidelma F. G. dos Santos, Ildisnéya V. Dambros, Claudia Maria Borges, Noeide R. de Moura, Deise M. Morimoto, Sara Suely A. Caparossi, Giuvana Maria Lopes, Luciana Ferraz, Leidiane Benedita de Oliveira, Maria Silvina da C. Gonçalves, Creuza D. de Moura, Rosiani M. Carnaiba, Nelice de S. Lotufo e Josita C. da R. Priante; 7. MÉDIO TELES PIRES – Débora C. Anselmi, Erica P. Sena, Pamela S. de Souza, Sandra M. de Moura, Ethiane Agnoletto, Mayse T. Nohara e Edileusa Ribeiro; 8. JAURU – Clautenes Maria de A. Ferreira, Elizene V. Borges, Célia A. de Souza, Vanda Aparecida dos Santos, Ingred L. de Oliveira e Solange Hikeda; 9. CABAÇAL – Milayne G. A. e Adriani, Sandra T. Visintin, Alessandra Cristina de Souza, Jane F. Vanzzella, Ida Beatriz M. de M. Sá e Lucélia Aparecida da S. de Paula; 10. ALTO ARAGUAIA – Cristiane Schnepfleitner, Sinara Cristina de Moraes, Mirian Francisca Martins, Cristiane V. de S. Rosa, Zenilda T. de Lima, Cleidiany S. dos Santos, Carolina Wisintainer, Jessika S. Hirata, Joana F. de A. Silva; 11. ALTO PARAGUAI SUPERIOR, Maria Tereza O. Paro e Jackeline R. de S. Ormond.


Hoje a SEMA é comandada por Mauren Lazzaretti, Secretária; Lilian Ferreira dos Santos e Luciane Bertinatto, Secretárias Adjuntas do órgão, todas elas a muito são parceiras.


Enfim, agradecemos também a todas as mulheres que deixamos de citar, nossas parceiras das águas, que estão em algum lugar neste planeta. Somos gratas, pela sua força!


Muitas mulheres por aqui passaram, algumas, continuam aqui, e muitas outras virão, mas, Lilian Apoitia e Leonice Lotufo, estão, desde o início, “Alicerçando e Construindo Nossa História”.


Sobretudo, agradecemos a DEUS.

144 visualizações