Sumário da água

Blog da REBOB

Projeto inovador de drone que coleta e analisa amostras de água é premiado pela Febrace

Rafaela Curcio venceu na categoria engenharia da Febrace


Com o projeto apresentado para o trabalho de conclusão de curso, a estudante jundiaiense (SP) Rafaela Curcio, foi a grande vencedora na categoria Engenharia da 19ª Feira Brasileira de Ciência e Engenharia (Febrace).


Sob a coorientação do professor Ricardo Murilo de Paula, a estudante do curso técnico de Química da Escola Técnica Estadual (Etec) Benedito Storani, apresentou um protótipo de dispositivo simples para análise da água.


“O dispositivo precisaria medir temperatura, ph, oxigênio dissolvido e a condutibilidade elétrica do corpo hídrico. A ideia da estação portátil surgiu em 2019, em uma aula de ambiental quando o professor propôs que fizéssemos um projeto relacionado ao meio ambiente, embasados nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. O meu projeto está no sexto objetivo, que trata de água potável e saneamento básico. Assim surgiu a ideia de fazer análise de água através de um dispositivo autônomo”, explica.

Intitulado ‘Análise de Água Automatizada: Desenvolvimento de um Drone à Base de Microcontroladores’ envolveu conhecimentos nas áreas de mecatrônica e química e também está entre os nove finalistas selecionados para participar da Feira Internacional de Ciências Regeneron ISEF, que acontece em maio.


O Projeto


Ela criou um drone. Uma esfera de isopor com 500 milímetros de diâmetro e motores que fazem o processo de bombeamento de água para promover a locomoção do protótipo. “Todo o processo é controlado por um microcontrolador, a parte eletrônica do protótipo”, conta.


A jovem revela que o projeto poderia ser inserido em rios, lagos e corpos hídricos em geral.”A ideia é que o protótipo seja autônomo, justamente para substituir o trabalho de um técnico que faz análise da água, pois muitos locais oferecem risco à saúde desses profissionais.
Por meio de aperfeiçoamentos e pesquisas, a ideia é que o projeto seja feito em larga escala. “Eu gostaria que ele fosse produzido em larga escala, voltado para uma visão econômica, dependendo da demanda, pois ele é muito útil para o meio ambiente. “, revela a jovem.
Para o coorientador, o resultado deve ser comemorado porque representa a quebra de vários paradigmas. “A ganhadora é uma mulher que estudou em escola pública e venceu na categoria Engenharia, com um projeto baseado em automação e mecatrônica”, afirma.

Fonte: Jornal de Jundiaí

24 visualizações