top of page
Sumário da água

Blog da REBOB

Status dos projetos e deliberações do CBHSF são temas da reunião da CCR Alto São Francisco



Os membros da Câmara Consultiva Regional (CCR) do Alto São Francisco se reuniram de forma on-line, no dia 25 de novembro, para a última reunião de 2022. O objetivo foi apresentar as deliberações que serão discutidas para aprovação na próxima plenária, definição da cidade sede da campanha “Eu viro Carranca para defender o Velho Chico” e o status dos projetos executados em 2022.


A gerente de Integração da Agência Peixe Vivo, Rúbia Mansur, apresentou as minutas das Deliberações Normativas que serão apreciadas na próxima plenária do CBHSF que tratam sobre a alteração no Plano de Trabalho no Contrato de Gestão, do Plano de Execução Orçamentária Anual de 2023, da aprovação do calendário e planejamento anual das atividades do CBHSF para o ano de 2023 e um pedido da Companhia de Desenvolvimento dos Vales São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF) acerca da cobrança pelo uso de recursos hídricos em dois municípios que estão em contexto de calamidade.


As datas das próximas reuniões ordinária e para o próximo ano também estiveram na pauta e os participantes deliberaram sobre as cidades sede da campanha “Eu Viro Carranca para defender o Velho Chico”. Por votação, foi definido que a campanha será realizada em Felixlândia no ano de 2023, em São Francisco no ano de 2024 e na região da nascente (Afluentes do Alto São Francisco) no ano de 2025.


Projeto de Recuperação da bacia do Rio Preto


O superintendente de Recursos Hídricos da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa), Gustavo Carneiro, participou da reunião da CCR Alto São Francisco e apresentou o projeto de revitalização da bacia hidrográfica do Rio Preto. O curso d´água sofre conflitos socioambientais pela retirada de água dos mananciais acima da capacidade, provocando sobre-exploração e conflito entre os irrigantes, no Distrito Federal.


“O objetivo é aumentar a disponibilidade hídrica na bacia do Rio Preto e minimizar as situações de conflito pelo uso da água por meio de tubulação dos canais rudimentares de irrigação e construção de reservatórios lonados. É uma demanda dos produtores da nossa região e que pedimos o apoio do CBHSF, por meio desta Câmara, na execução do projeto”, afirmou.


O curso d´água possui uma área de drenagem de 2.900 km², possui 378 km na cabeceira de sua nascente no estado de Goiás até a foz no Rio Paracatu, importante afluente do Rio São Francisco, cortando os estados de Goiás, Minas Gerais, além do Distrito Federal.


“O projeto foi muito bem elaborado e apresentado para a CCR Alto São Francisco. É previsto no orçamento do CBHSF, que cada CCR deve apresentar propostas periódicas de projetos especiais que atendam a bacia e seus povos e esse projeto pode entrar nessa rubrica. A CCR Alto São Francisco vai encaminhar o projeto de revitalização da bacia do Rio Preto para apreciação da Diretoria Colegiada (Direc) do CBHSF para análise e aprovação de sua execução”, afirmou o coordenador da CCR Alto São Francisco, Altino Rodrigues Neto.



Status dos projetos do Alto São Francisco


O coordenador técnico da Agência Peixe Vivo, Thiago Lana, explanou sobre a situação dos projetos de requalificação ambiental. Dentre eles, foram concluídos os de Proteção Hídrica para Mudança da Realidade Socioambiental do Alto São Francisco, o de Recuperação do Córrego Pasto dos Bois e o de Recuperação do Riacho das Pedras. Já os projetos de recuperação do Córrego Confusão (fase 3) e o de Ações de Manejo e Conservação de Água e Solo do Ribeirão Extrema Grande (fase 2) ainda estão em execução.


Além disso, dois projetos de sustentabilidade hídrica no semiárido estão em fase de finalização. O de implantação de cisternas para consumo humano na zona rural de Francisco Sá que prevê a construção de 90 cisternas e o de implantação de painéis fotovoltaicos para captação de água para suprimento de pequenas comunidades rurais, com a mais de 300 painéis instalados.


A região do Alto São Francisco tem também dois projetos especiais em execução: o de adequação de estradas rurais em Lagoa da Prata e Japaraíba e o de desenvolvimento de um sistema de previsão hidrológica e hidrodinâmica como suporte à decisão operativa da UHE Três Marias para manutenção e restabelecimento de lagoas marginais no trecho mineiro da bacia do São Francisco.


Já os projetos de esgotamento sanitário estão em fase de seleção e o estudo de concepção, projeto básico e executivo para o sistema de esgotamento sanitário de Pompéu está em execução.

O Alto São Francisco tem um projeto em fase de licitação que é a elaboração do estudo de viabilidade técnica, ambiental e financeira e levantamentos necessários para a implantação de estrutura de regularização da vazão no Ribeirão Santa Isabel, em Paracatu.


Também foi concluído no Alto São Francisco a capacitação para manejo de irrigação na bacia hidrográfica, ministrada nos dias 02 e 03 de setembro para 30 irrigantes, no município de Caeté.


Assessoria de Comunicação do CBHSF: TantoExpresso Comunicação e Mobilização Social *Texto: Luiza Baggio *Foto: Bianca Aun


Fonte: CBHSF

3 visualizações
bottom of page